Avanço da música ­digital não salva ­indústria

Mesmo com o crescimento das vendas das músicas digitais, o retorno financeiro não será suficiente para salvar a indústria da música. A opinião é do Jupiter Research que apontou que as compras digitais de música vão ser responsáveis por um terço dos gastos em música digital nos Estados Unidos até 2012, o montante movimentado não é equivalente a perda em vendas de CD neste período.

Chamado de “Previsão da Música nos EUA, 2007 -2012”, o relatório apontou ainda que os gastos com compra de música digital vão atingir US$ 3,4 bilhões nos próximos cinco anos, mas a venda de CD vai ­continuar a cair em ritmo agressivo.

Tendência animadora

O vice-presidente do ­instituto, David Card, disse no levantamento que ainda que o crescimento em di­gital não supere as perdas nos CDs e não vá fazer a indústria como um todo crescer, as músicas digitais são onde o crescimento está acontecendo. Ele destacou, para o futuro, a possi­bilidade de oferecer serviços sob demanda de assinaturas para atuar em mercados de nicho.

Mesmo com o cres­cimento das músicas digitais, alguns usuários ainda vão preferir os CDs. “O negócio de fazer download de músicas é uma alter­nativa, não uma substituição aos CDs. Ainda existem ­consumidores que pre­ferem um produto tangível”, disse em comunicado para a ­imprensa David Schatsky, presidente da Júpiter Research.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email