Autoliderança pode ser segredo do sucesso

Com a correria do cotidiano em grandes organizações, esforçar-se para manter o equilíbrio das relações interpessoais e a harmonia no trabalho parece cada vez mais complicado. De acordo com o especialista em recursos humanos, Robson Santarém, para que isso aconteça é necessário que tanto funcionários quanto gestores se interessem em desenvolver espírito de autoliderança em cada profissional.
“Para que a empresa continue correspondendo as expectativas de geração de emprego e renda é necessário investir no talento de seus colaboradores para tornar mais visível a característica de autoliderança. Os principais focos desse trabalho são motivar o alto desempenho e contribuir para o melhor estabelecimento e cumprimento de matérias”, disse.
Segundo Santarém, um profissional com autoliderança é capaz de desenvolver o autodomínio fundamental e necessário para liderar os demais membros da equipe. “Além disso, o autoconhecimento do profissional também é desenvolvido e por consequência surgem as competências que fará do profissional um líder melhor”, completou ele.
Ainda de acordo com o especialista, a autoliderança apresenta como característica específica a autoconsciência. “A autoconsci­ência é um fator essencial e por si já nos leva a refletir sobre quem somos, quais são os nossos valores e se vivemos de forma coerente com eles ou se nos deixamos conduzir por convenções coletivas que nos desviam de nossa essência, da nossa singularidade. Implica ainda na consciência do nosso propósito, no domínio das emoções, ou seja, na plena utilização da inteligência emocional e espiritual”, avaliou.
A falta de uma boa autoliderança, para Santarém, pode prejudicar empresa e funcionários, pois se os líderes não forem capazes de dominar os próprios impulsos, emoções e pensamentos e ter o autocontrole diante de todas as situações difíceis no dia a dia, não será possível liderar e motivar a equipe para superar e obter resultados melhores.
Conforme ele explicou, não existe autoliderança boa ou má, o certo é que os melhores líderes são pessoas que desenvolvem autoliderança. “Com certeza há muitos homens e mulheres vivendo esse processo. Nas melhores empresas para se trabalhar há verdadeiros líderes que contribuem para construir excelentes organizações em resultados financeiros e clima organizacional favorável ao desenvolvimento”, observou.
Na avaliação do especialista, querer assumir o controle em todas as situações não significa ter uma autoliderança aproveitável, porque o líder deve se posicionar como um servidor da equipe e da organização, além de sempre procurar pensar no bem comum ao exercer uma gestão participativa com atitude de escuta dos liderados para até mesmo formar novos líderes. Ou seja, o líder jamais pode se considerar o dono absoluto da verdade e querer decidir sozinho sem escutar e respeitar os demais membros do grupo.
Existem alguns treinamentos específicos para desenvolver a autoliderança. “São processos que dependem da determinação, disciplina e empenho de cada um no sentido de se conhecer sempre mais e de superar-se em suas fragilidades, na reflexão e consequente mudança de seus modelos mentais e comportamento”, destacou Santarém.
Os dirigentes das empresas também podem investir na capacidade e no talento dos funcionários para desenvolver a liderança. Para mais informações sobre autoliderança, ele indicou o livro de sua autoria Autoliderança – Uma Jornada Espiritual e também o site www.animah.com.br.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email