Ato de comunhão no palco do Teatro Amazonas

Nos dias 16 e 17 de junho, o ator e diretor Gilberto Gawronski apresenta o espetáculo ‘Ato de Comunhão’ no Teatro Amazonas. O monólogo é baseado na história verídica de Armim Meiwes, que foi condenado à prisão perpétua por ter devorado um homem, que conheceu pela internet. A montagem, de autoria do argentino Lautaro Vilo com tradução de Amir Harif, foi contemplada no Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2013.
Diante de uma plateia, um homem relembra três momentos de sua vida: a festa de aniversário de seus oito anos, a morte de sua mãe e um jantar bastante peculiar com um homem que conhecera pela internet. Livremente baseada num fato real que ficou conhecido na mídia como o do “canibal alemão”, a peça coloca em cena, com elaborada delicadeza, algumas complexidades perturbadoras da vida contemporânea. Tecnologia, conexão, solidão, instinto e civilização permeiam esta história verídica que oscila entre o moderno e o arcaico.
Escrito pelo dramaturgo argentino Lautaro Vilo e protagonizado por Gilberto Gawronski, o monólogo dramático recria o caso com elementos ficcionais e propõe uma visão confessional da personalidade de Meiwes. Pela falta de pudores ao expor a visão do criminoso, a montagem revolta, perturba, confunde e eletriza.
Segundo a crítica especializada, o relato feito pelo protagonista, com frieza e meticulosidade, impressiona. Gawronski desenha traços psicológicos da figura representada, mantendo quase sempre o mesmo tom de voz e a mesma cadência rítmica, tanto nas passagens mais horripilantes, quanto naquelas em que o humor predomina. O uso de recursos audiovisuais, operados em cena por ele, também tem recebido elogios. “Ninguém vai ver carne no palco”, explica o ator, “Há muita delicadeza artística para passar esta coisa tão sórdida, um fato tão bizarro e atroz”, argumenta Gilberto.

Oficina

Da leitura de textos jornalísticos, relatos e textos dramatúrgicos, a oficina tem como objetivo submeter os alunos a um processo de criação de personagem e/ou narrador a partir de pontos de vista múltiplos: a do cronista, a dos que “sofrem” o fato, a dos que “vivenciam” a história. Para narrar o conto, os participantes também trabalharão com objetos e elementos de significado poético que sofrem transformações lúdicas no seu uso cênico.

PRAZER NA ANTROPOFAGIA

Em 2003, veio à tona um dos crimes mais impactantes da era da internet. Diante de um tribunal alemão, o técnico de computação Armin Meiwes, de 41 anos, descreveu como devorou o engenheiro Bernd Jürgen, um ano mais jovem, em março de 2001. Enfático, ele sustentou que a dupla tinha consciência da prática antropofágica e não via mal naquilo.

Uma peça em três partes

Lautaro Vilo dividiu a trama em três tempos. Primeiro, o personagem aparece no aniversário de oito anos, quando já manifesta profunda solidão. Mais velho, enfrenta a perda da mãe rodeado por sentimentos contraditórios. Por fim, ele aguarda a visita de um homem descoberto semanas antes em um site no qual a maioria dos conectados se dizia simpatizante do canibalismo.
“Gilberto Gawronski alcança um nível técnico tão elevado que sua frieza transmite diferentes sentimentos, reforçados pela modulação da voz”, comenta Warley Goulart, que divide a direção com o ator em cena. “Durante os silêncios, as repetições nas projeções em vídeo, não se ouve um suspiro, e o público acredita ver o próprio Meiwes”, orgulha-se.
Nesse jogo de convencimento, os gêneros se confundem, a realidade torna-se teatro e a ficcção atinge caráter documental. “Não tentamos influenciar o público a simpatizar com o personagem, mas apresentamos uma explicação para, enfim, cada um elaborar o próprio veredicto”, adianta Gawronski.
Os preços dos ingressos são populares e serão vendidos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada para estudantes e artistas com carteira de identificação).
A peça é inadequada para menores de 18 anos.

O QUÊ? Espetáculo ‘Ato de Comunhão’
ONDE? Teatro Amazonas (Largo de São Sebastião s/n°, Centro)
QUANDO? Dias 16 e 17 de junho de 2016, às 20h
QUANTO? R$ 20 (inteira)/ R$ 10 (meia)
INFORMAÇÕES:
3232-1768/ 99331-7090
*Em todas as sessões será oferecida a possibilidade de tradução para libras

O QUÊ? Oficina com Gilberto Gawronski
QUANDO? Sexta (17 de junho), das 14h às 17h
INGRESSOS? Gratuito (Currículos e carta de intenção devem ser encaminhados para o e-mail [email protected] para o preenchimento das vagas)

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email