Assentamentos produzem alimentos orgânicos que serão entregues nas escolas

Mais de 9,6 toneladas de produtos orgânicos devem chegar às escolas e creches de Nova Santa Rita (RS) até julho. Os hortifrutigranjeiros são produzidos em assentamentos, e começam a ser distribuídos na próxima semana. Em forma de rodízio, um grupo de 20 famílias assentadas entregará, semanalmente, alface, repolho, moranga, batata-doce, cenoura, tempero verde (salsa e cebolinha), beterraba, pimentão, alho, couve, espinafre, brócolis, aipim, rabanete, vagem, agrião, rúcula, além de cubos de carne suína (pernil) e frutas como bergamota e maracujá. A distribuição será feita pelos próprios assentados diretamente às escolas.
“Além de um produto orgânico, que respeita a vocação agrícola da região, os alunos terão um alimento mais novo. O fato de ser produzido próximo facilita a entrega, gerando economia e qualidade, pois assim, no dia seguinte à colheita o alimento já está nas escolas”, salienta a nutricionista Arlete Gonçalves, da Secretaria Municipal de Educação. A comercialização com o município faz parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar. A iniciativa atende a lei federal número 11.947/2009, que determina que no mínimo 30% dos recursos repassados pelo FNDE (Fundo Nacional de Educação) para alimentação escolar, seja investido na compra de produtos da agricultura familiar e reforma agrária. As famílias assinaram os contratos com a prefeitura na última quarta-feira (31).
“Este mercado é uma conquista para nós, porque vai garantir uma renda mensal à família”, comemora o assentado Adir Bourscheid, que distribuirá, entre outros produtos, em torno de 800 pés de alface por mês às escolas. Com a abertura de mais este mercado, ele espera aumentar a renda familiar em mais dois salários mínimos e investir o dinheiro na expansão da produção. As famílias foram selecionadas por meio de licitação para aquisição de produtos da reforma agrária e agricultura familiar para alimentação escolar, realizado pela prefeitura no início do ano. A expectativa dos assentados é continuar abastecendo as escolas também no próximo semestre.
“É o nosso primeiro contrato, que vai até julho. É um período inicial, onde poderemos organizar o trabalho. Com a experiência, em uma próxima licitação poderemos até incluir outros itens que já produzimos”, explica Sandra Rodrigues, assistente social da Coptec (Cooperativa de Prestação de Serviços Técnicos). A Cooperativa – que também presta assistência técnica aos assentamentos de Nova Santa Rita – é a entidade articuladora das famílias no Programa de Alimentação Escolar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email