3 de dezembro de 2021
As mazelas do ser humano interferem diretamente nos resultados organizacionais. Agora imaginemos quando os gestores são os maiores causadores e responsáveis pela falta de equilíbrio no processo, principalmente em saber administrar pessoas

As mazelas do ser humano interferem diretamente nos resultados organizacionais. Agora imaginemos quando os gestores são os maiores causadores e responsáveis pela falta de equilíbrio no processo, principalmente em saber administrar pessoas. A era do assédio sexual ainda continua importunando e infelizmente ocorrendo nas organizações. Todavia, o assédio moral vem com características mais arrasadoras e perversas devido conseguir incluir todos os membros da organização que estão diretamente subordinados a um gestor. Várias são as causas que fazem isto ocorrer, mas, uma das principais é o número vasto de diferentes países, com culturas diferentes, que investem financeiramente em nosso país e sempre ao chegar com sua cultura tentam impor a mudança na nossa.
As empresas necessitam de grandes lideres e gestores possuidores de equilíbrio emocional para saberem administrar todos os momentos, inclusive os de estresse, evitando assim, qualquer tipo de assédio e administrando de modo sábio as diferenças de culturas. Um dos maiores problemas atuais nas lideranças é que elas tendem a não possuem humildade suficiente para aceitar as possibilidades de estarem equivocadas em alguns momentos da administração. Fazem, muitas vezes, seus subordinados realizarem tarefas que eles mesmos jamais fariam e querem perfeição total esquecendo que esta busca precisar vir inicialmente da base. E, o que é pior, esquecem nos momentos de pouco equilíbrio que estão lidando com pessoas iguais a si e criam problemas que, quase sempre, poderiam ser evitados comprometendo com isso o resultado positivo da empresa.
O assédio moral vem com características extremamente perversas devido abalar a moral do funcionário e não possuir um foco especifico de departamentos ou sexo, pois, pode ocorrer com todos os funcionários da empresa. O que caracteriza o assédio moral é quando o superior utilizando a prerrogativa do cargo desenvolve a falta de respeito, o constrangimento, o grito, o desacato, o exagero de pressão para com seu subordinado. Quase sempre não aceita de modo público e age com seu funcionário de forma inconveniente em público ou mesmo reservado, conseguindo interferir negativamente no trabalho desempenhado a ponto de constranger a pessoa fazendo com que ela não produza o desejado, e quase sempre, sendo penalizada pela baixa produtividade. Estes gestores que deveriam dar o exemplo passam a “achar” que pessoas não devem ser tratadas como pessoas e somente lembram dos processos achando que estão agindo de modo responsável e profissional frente ao topo da organização que, quase sempre, não percebem a incapacidade de administrar pessoas deste profissional, pois, o reflexo nem sempre é em curto prazo, mas, interfere de modo negativo aumentando significativamente a insatisfação de trabalhar, elevando o índice de afastamento por doenças ou mesmo elevado o percentual de saída e entrada de funcionários na organização.
Certamente para buscarmos resultados positivos dentro de uma empresa alguns pontos devem ser sempre muito bem trabalhados. Aqui devemos destacar a gestão das pessoas como fator decisivo no progresso organizacional e lucro garantido. O equilíbrio profissional é ponto decisivo para atingirmos as metas e objetivo traçado. O respeito à cultura local com suas acertadas adaptações nos trará sucesso garantido em nova trajetória e busca. A humildade profissional auxilia no aprendizado de todos os envolvidos no processo produtivo e de ganhos e cria a situação de administrar e liderar processos que também faríamos se fosse necessário, juntamente, com nossos funcionários/colaboradores respeitando-os como profissionais, penalizando se necessário, todavia, sempre evitando o constrangimento de qualquer natureza descaracterizando assim o assédio moral e criando rentabilidade e envolvimento das pessoas em curto, médio e longo prazo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email