Olá, como vai. Espero encontra-lo bem e com muita saúde. Trouxe aqui para você, um assunto aparentemente simples, porém, de relevante importância nas operações logísticas de armazenamento. Vamos conversar?

Costumo dizer para meus alunos, isso já a muitos anos, que o ponto inicial das operações logísticas em um armazém inicia-se no recebimento. Este processo aparentemente simples por muitas vezes é desprezado e causa grandes impactos nas operações seguintes, como por exemplo: armazenagem e expedição. Vamos decifrar este assunto agora.

 Recebimento e descarregamento de veículo

O recebimento é o ponto inicial das operações de um armazém, então planejá-lo é vital para o sucesso das outras operações. A localização dos acessos ao armazém interfere diretamente na capacidade operacional, uma vez que vai determinar as distâncias percorridas diariamente pelas pessoas no armazém.

Outro ponto importante é a dimensão da área de recebimento, que deve ser de acordo com as necessidades diárias de recebimento. É importante pensar ainda nos equipamentos que melhoram a capacidade de recebimento, como, por exemplo, os niveladores de docas, que atuam como mecanismo de ligação entre os edifícios e os veículos. O planejamento dos niveladores deve levar em consideração as alturas dos cavalos mecânicos e da carroceria, que podem variar de 1,0 m a 1,5 m de altura, que são respectivamente as carrocerias de alta capacidade volumétrica ou de estrutura de engate e os veículos que transportam contêineres. Tendo como padrão a altura da doca 1,2 m, os niveladores podem oscilar para cima ou para baixo, facilitando as operações de descarregamento de veículos. 

A foto abaixo, é de um equipamento trivial para as operações de recebimento e expedição. Chama-se niveladora de doca.

Resultado de imagem para nivelador de doca

Lembro aqui aos amigos, que o recebimento é uma importante etapa do processo de armazenagem, pois, sem receber mercadoria não haverá oque armazenar, pelo menos nesta modalidade.

Principais cuidados no recebimento

Um recebimento deve ser previamente informado à recepção de mercadorias, pois essa informação garante que se receba aquilo que se espera na quantidade certa. Qualquer recebimento que não seja informado à recepção deve ter autorização de um superior ou não será recebido.

Deve-se avaliar de forma real as suas disponibilidades de espaço, equipes e equipamentos para receber cargas em um dia de trabalho, estabelecendo locais para estacionamento, pontos de recebimento, fluxos, equipamentos e mão de obra necessários.

Deve-se ainda planejar o escalonamento das chegadas de caminhões e os intervalos necessários.

Sempre que possível, manter em zonas separadas as cargas a serem recebidas e as cargas expedidas, para que os fluxos não se misturem.

É importante orientar os veículos para as docas de recebimento. O descarregamento deve ser feito por pessoas e equipamentos adequados. 

O descarregamento deve ser realizado com rapidez e segurança, pois o recebimento ágil dará maior eficiência ao giro de produtos, disponibilizando os itens mais rapidamente para conferência e liberação. 

Os documentos devem ser conferidos antes de descarregar os veículos.

Conferência, movimentação e estocagem

A conferência dos itens deve garantir que os itens recebidos sejam exatamente aquilo que deveria ter sido recebido, em características técnicas, qualitativas e quantitativas. A movimentação deve garantir antes de tudo a integridade dos itens e que todas as operações de recebimento, estocagem e expedição ocorram sem contratempo e com muita eficiência.

Guarda dos produtos

A guarda de produtos deve ocorrer respeitando os endereçamentos, os critérios de vencimentos (PEPS), e, ao mesmo tempo, proporcionar seletividade, que é o fácil acesso aos itens e a facilidade na localização, que completa as necessidades de estocagem dos produtos.

Separação de pedidos

A separação dos pedidos pode ser feita das mais variadas formas, mas sempre no sentido de agilizar o atendimento ao cliente. É uma atividade que apresenta intensiva movimentação de materiais, em alguns armazéns chega a ser responsável por custos que giram em torno de 30% a 40%. Fato apontado por causa do número de pessoas e equipamentos envolvidos na operação. Essa operação de separação de pedidos envolve as seguintes operações:

  • Localização dos produtos no armazém;
  • Coleta dos produtos; 
  • Contagem e documentação; 
  • Movimentação para localização e formação do pedido

Estudos apontam que o maior tempo está na movimentação, assim o tipo de separação a ser efetuado interfere diretamente na movimentação. A separação é chamada na logística de picking. 

Veja a seguir alguns modelos:

Picking discreto – é o mais simples, muito utilizado, consiste em cada operador ser responsável por um pedido por vez, ele pega apenas um produto de cada vez. Isso torna a operação mais lenta, mas em alguns casos é preciso que seja assim.

Picking por zona – nesse modelo, o armazém é divido por zona, cada operador é responsável por uma zona, e, assim, quando ela recebe um pedido, separa somente os itens da sua zona.

Picking por lote – nesse modelo, um operador junta um certo número de pedidos para iniciar a separação, pegando itens comuns aos vários pedidos. Assim, são 

Feitas as coletas de vários produtos em quantidades que atenda a vários pedidos; em seguida, é feita a distribuição para cada pedido.

Picking por onda – muito similar ao discreto, ou seja, o operador pega um produto por vez, a diferença está no agendamento de um certo número de pedidos a ser efetuados.

Espero que tenham gostado deste Papo Logístico e até o próximo.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email