Artrose: Quando você menos espera, seu pet envelheceu e precisa agora de mais cuidados

Ele agora está mais quieto, isolado, já anda com dificuldades. Não come mais com a mesma tenacidade e frequência de antes. Já deixou de ser um bom ‘garfo’. Como era tão prazeroso vê-lo devorar em segundos o alimento! Tão rápido que lhe surpreendia.  Uma fome voraz. Um glutão por excelência, sem contar a alegria que irradiava pela casa e encantava a todos.  

Passou rápido, não? Algo em torno de dez anos. Seu pet chegou à ‘terceira idade’ ou ‘melhor idade’, como quisermos definir. Uma questão de nomenclatura. A partir daí, se ele já precisava de tantos cuidados, prepare-se agora para dedicar mais atenção ao seu amiguinho.

É realmente uma pena. Uma questão de evolução. Cães e gatos vivem muito pouco em comparação com outros animais. De dez a 14 anos, em média. É o seu ciclo de vida. Quando menos se espera, já estão velhos. 

Por essa faixa etária, começam a aparecer os problemas de saúde da velhice, como nós seres humanos.  Uma artrose que limita seus movimentos – vêm as dores nas articulações, na musculatura, que o desencorajam a seguir adiante. 

Não tem a mesma estrutura que o permitia ser o serelepe do ‘pedaço’ e roubava a atenção. Explodia em alegrias, saltava, brincava e tinha tanta mobilidade que chegavam a considerá-lo hiperativo. 

Nada disso. É a juventude que proporciona tanta força e vigor. E toda essa energia precisa ser extravasada. Tem mais, mas não se preocupe. Relaxe. É só um alerta para você poder ajudar o seu animal de estimação a ter uma melhor qualidade de vida no futuro, quando ele chegar à senilidade. 

E esse desfecho (feliz ou não) vai depender de uma vida saudável proporcionada ao seu pet ao longo dos anos. O kit das doenças vem em seguida – diabetes, obesidade, problemas cardíacos, renais etc. – e até prostração. 

Sim, eles também têm essas mesmas doenças. E seria quase impossível nominá-las a todos só nesse espaço. Mas elas podem ser evitadas com medidas preventivas, que devem começar desde cedo.  

Por isso, a melhor a melhor opção para proteger o seu amigo é a prevenção. Leve-o dede cedo ao veterinário para um exame acurado sobre as suas condições de saúde. Muitas vezes eles trazem problemas que podem ser corrigidos ainda em tenra idade.

Os cães devem tomar a primeira vacina aos 45 dias de vida. São três doses a cada 20 dias, em média. A última é a antirrábica. Os gatos começam a ser vacinados a partir dos 60 dias. São três doses e a última, contra a raiva. Todas com um reforço anual.

Sem subestimar as nacionais, prefira as vacinas importadas. Elas são melhor acondicionadas e protegem mais o seu pet, pois são aplicadas apenas por veterinários ou outros profissionais habilitados. A manipulação do produto segue todo um protocolo de armazenamento e higienização exigido pelos fabricantes. São essas normas que dão mais segurança.

Se você quiser ver o seu amigo saudável na velhice, ofereça uma ração bem balanceada, rica em mais nutrientes. Um cão ou gato bem alimentado reforça a imunidade e adoece menos.

Proporcione amor, afetividade. E liberdade para brincar e interagir com outros animais e pessoas também. O confinamento gera estresse, angústia, depressão, que vão impactar muito na vida deles. E muitos acabem morrendo precocemente.

Um check-up anual também ajuda a prevenir doenças no futuro. Exames de sangue e de imagens podem diagnosticar enfermidades ainda na fase inicial. E será mais fácil tratá-las. 

Seja rigoroso. Não relaxe nos cuidados que devem ser redobrados quando seu amiguinho estiver velho. E ele dependerá ainda mais de você. Com certeza, você fará de tudo para ter o seu pet por mais tempo.

Nosso objetivo é alertá-lo. Uma boa velhice, com qualidade de vida, resulta de uma vida saudável na infância e na juventude!

POR DENTRO

Prevenção

. Vacinação em dia

. Reforço anual de vacinas

. Vermifugação

. Alimentação bem balanceada

. Recreação

. Espaço para interação

.  Amor, carinho, afetividade

. Cuidados veterinários

DICA ANIMAL

‘Não insista, me dê comida de pet’

Será que você já se convenceu que o seu pet só deve comer alimentos produzidos especificamente para eles? Rações e outros produtos animais resultam de anos de pesquisas. E só eles têm os nutrientes que podem proporcionar uma vida saudável aos animais. Então, não insista em dar ‘comida de gente’, como muitos chamam o que ingerimos no dia a dia, para o seu amigo. Eles correm risco de ficar doentes e vão dar mais trabalho. E gastos. Muitas vezes, precisarão de uma intervenção de um veterinário diante de uma eventual doença que tenha como causa maus hábitos alimentares. Fica dica!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email