Artistas locais buscam novas plataformas

Como escreveu Virgílio, em Geórgicas: quem chora ou canta, fadas más espanta; ou Miguel de Cervantes, através de seu personagem Dom Quixote: quien canta, sus males espanta. A frase é pra lá de antiga, mas sempre atual e neste momento de quarentena, super importante. Por isso a jornalista e produtora cultural Wanessa Leal teve a idéia de criar uma playlist, comente com cantores do Norte, e disponibilizá-la no Spotify, por tempo indeterminado.

“Escuto música quase 10h por dia: artistas de diferentes estilos e gêneros musicais, tanto daqui do Amazonas quanto de outros estados do Brasil e diferentes partes do mundo. O fato de eu trabalhar como produtora cultural e diretamente com músicos, cantores e profissionais da música, contribui muito para isso. Eu chego a ter obsessão por música”, falou.

Como resultado de sua paixão pela música, Wanessa formou uma legião de artistas, cantores, compositores e produtores artísticos e culturais, em Manaus, no Amapá, Roraima, Pará e Acre. Foi então que teve a idéia de criar a playlist ‘Ouça os Artistas do Norte’.

“É uma forma de reunir trabalhos de diferentes estados do Norte para reafirmar a nossa identidade musical nortista e reconhecer o que estes artistas, que hoje ocupam diferentes lugares no mundo, estão produzindo. A playlist, em forma de coletânea, é uma estratégia para que o trabalho deles seja encontrado com facilidade e em um mesmo lugar. E também é claro, é uma forma de dizer para todo o Brasil: “Eu tenho orgulho de ser do Norte, eu também faço parte do Brasil. Que tal me conhecer?”, disse.

Variedade de ritmos

A playlist resultou das vivências de Wanessa como produtora executiva e artística na música e nas experiências que tem como assessora de comunicação há dez anos para artistas deste segmento.

“Eu amo muito o que faço e busco sempre pesquisar, ouvir, me manter antenada nos trabalhos que estão surgindo, e também recebo em casa alguns trabalhos de outros estados via Correio. Mais de 90% desses trabalhos estão nesta playlist e são fruto do que baixei via Spotify para ouvir com mais atenção, ou são músicas que eu tive contato via CD e guardo comigo no meu quarto a sete chaves, para revisitar sempre”, contou.

Na playlist constam artistas de ritmos e gêneros musicais como jazz, toadas de boi bumbá, pop regional tropical, R&B, rap, afrobeat, música eletrônica, instrumental, carimbó, batuque e marabaixo, cumbia, beiradão, rock, reggae, MPB, samba, entre outros.

Os artistas, lógico, agradecem. Viviane Chaves, que faz parte da produção da Dona Onete (Belém) disse que curtiu muito a playlist e assegurou que irão publicar informações nas suas redes sociais; Patrícia Bastos (Macapá) também agradeceu e curtiu bastante ter sido lembrada com trabalhos mais antigos como o álbum ‘Eu sou caboca’, e outros mais recentes como ‘Zulusa’ e ‘Batom Bacaba’; Euterpe (Boa Vista) agradeceu, disse que gostou muito da ideia e da seleção, e até indicou o trabalho de outros artistas; Allan Carvalho (Belém) agradeceu via rede social.

“De Manaus, já entraram em contato comigo: Bel Martine, Davi Escobar (Alaidenegão), Victor Xamã, Antonio Bahia, Marcia Novo, Karen Francis, Ian Lecter, Karine Aguiar, e vários outros. Disseram que curtiram muito e ficaram felizes por terem sido lembrados na playlist”, esclareceu.

Playlist de todos os artistas

A playlist abre com a música ‘José Aldo’, do Victor Xamã, na qual ele começa dizendo: “Eu vim do Norte, vocês tentam buscar o Norte a vida toda!”. Depois acontece um passeio por diferentes gêneros musicais que marcam e expressam bem os vários estados do Norte e sua diversidade cultural. Dona Onete e seu carimbó chamegado (Pará); os mestres da guitarrada Mestre Solano e Verequete (Pará); as antigas do Carrapicho ‘Tic Tic Ta’ e ‘Vale do Javari’; Eliakin Rufino (Roraima), poeta, cantor e compositor com os sucessos ‘Tudo índio’, ‘Todo mundo nasce artista’ e ‘Pimenta com sal’, que na playlist são interpretadas por Euterpe, cantora, compositora e sobrinha de Eliakin; Patrícia Bastos (Amapá), com produção musical e arranjos de Dante Ozzetti, traz o batuque e o marabaixo. A playlist também apresenta clássicos como as toadas de Garantido e Caprichoso; Nilson Chaves (Pará), com ‘Sabor Açaí’; o sax- balanço de Teixeira de Manaus; o brega raiz e pop de Wanderley Andrade, Nunes Filho, Gang do Eletro, entre outros, e ainda artistas da nova geração da música local como Bel Martine, Jaloo, Jade Safirah, Ian Lecter, Karen Francis, Gramophone, Casa de Caba, Anne Jezini, Luê, Chapéu de Palha, Um Trevo, Jam Rock e muitos outros.

“Neste momento em que os shows cessaram, a maioria dos artistas da playlist está articulada em grupos que pautam reivindicações de medidas de assistência aos trabalhadores da cultura. Também estão participando de festivais online com proposta de monetização para contribuir com suas rendas mensais, e espontaneamente estão fazendo lives com pockets shows ou shows completos, realizando atividades formativas como aulas de violão, piano, canto, para conseguir passar por tudo isso e assim conseguir sobreviver”, finalizou.

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email