Artista Rosemberg Prado ganha prêmio no concurso da INFluxo

Quem diria que aquele menininho, lá na cidade paraense de Conceição do Araguaia, que gostava de desenhar heróis de histórias em quadrinhos ganharia um prêmio de artes plásticas logo no primeiro concurso que participou. E concorrendo com artistas de todo o Brasil.

No final do mês passado o artista plástico Rosemberg Prado foi informado pelos organizadores do concurso, a INfluxo, ser um dos vencedores, na sua categoria, que também premiou outros dois artistas, sem distinção de primeiro, segundo ou terceiro lugares.

A INfluxo é uma Comunidade Midiática Colaborativa, sem fins lucrativos, onde profissionais, ativistas e amantes de movimentos artísticos, culturais, literários, jornalísticos, educacionais, filosóficos, xamânicos, ecológicos, entre outros, podem reunir em um só lugar seus conteúdos digitais, sejam eles escritos, narrados ou audiovisuais.

Pelo Instagram, Rosemberg tomou conhecimento do edital do concurso ‘Carta da Terra em ação’ e se inscreveu. 600 outros artistas de todo o Brasil na área da música, dança, poesia e artes plásticas fizeram o mesmo.

“Meu quadro ‘Mata amazônica’ foi escolhido, junto com o de outros dois artistas, na categoria ‘Belas Artes’. Não houve primeiro, segundo ou terceiro lugar porque a premiação busca valorizar as artes por igual. Cada artista ganhou R$ 1.000 como prêmio, mas o que vale mesmo é o reconhecimento do nosso trabalho e as portas que se abrirão a partir de então. Espero receber convites para expor no Brasil e no exterior”, revelou.

Aprimorando com mestres

Rosemberg veio para Manaus quando estava com 17 anos, apenas desenhando. Um dia, numa vídeo conversa com a mãe pelo WhatsApp, reparou num quadro atrás dela, pintado por ela, que estava tendo aulas de pintura.

“Eu já estava em Manaus há onze anos e nesse tempo todo esquecera o que era desenhar. Vendo o quadro pintado por minha mãe, voltei a desenhar e comecei a pintar. Como nos dias de hoje, tudo se aprende por tutoriais na internet, comecei a pesquisar sobre pintura de quadros: melhor tinta, melhor pincel, melhor tela, estilos, a vida de outros artistas”, contou.

Assessorado pelo já consagrado José Stênio, Rosemberg aprimorou ainda mais sua técnica e estilo. E frequentou o Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro onde teve aulas com o também artista plástico Chiquinho d’Almeida.

Nem demorou para o artista surgir e entrar no mundo das artes. Logo ele estava expondo seus trabalhos.

“Em 2018 participei de duas coletivas: ‘11º Salão de Artes Plásticas Curupira’, no Palacete Provincial, com um quadro. O Salão reuniu 50 obras de outros artistas; e ‘Pelos rios de água doce: onde a vida acontece’, na Usina Chaminé, com uma tela. Essa exposição reuniu 115 obras de 70 artistas de Manaus e do interior”, recordou.

Ano passado, para comemorar os 351 anos de Manaus, Rosemberg pintou um mural junto com Rosa dos Anjos, Alfredo Araújo, Marius Bell e Mário Matias. Cada um dos artistas pintou uma parte do mural, que hoje está exposto no Centro Cultura dos Povos da Amazônia.

Mural pintado a dez mãos – Foto: Divulgação

Em junho deste ano o artista realizou sua primeira exposição individual.

Vendido desde 2018  

‘Mata amazônica’ foi vendido em 2018 – Foto: Divulgação

“Foi na Casa das Artes. A exposição denominada ‘Natureza humana’, teve seu projeto aprovado no edital Prêmio Feliciano Lana, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, através da Lei Aldir Blanc, e expus 15 telas. Meu estilo é impressionista contemporâneo. Nos meus quadros destaco o comportamento das pessoas em relação à complexidade da sociedade atual. Por meio dos traços, tenho a natureza como tema principal de trabalho e o reflexo da humanidade através dela”, explicou.

Para o concurso da Influxo, Rosemberg selecionou quatro de seus trabalhos. Como ele pinta a natureza, não foi difícil estar de acordo com o tema do concurso ‘Carta da Terra em ação’.

“Tenho a natureza como tema principal de trabalho e o reflexo da humanidade através dela” – Foto: Divulgação

A Carta da Terra é um documento, proposto durante a Rio-92, voltado para assuntos acerca de uma sociedade global pacífica, justa e sustentável. A Carta propõe uma mudança de hábitos para alcançar um futuro melhor para todos os cidadãos do planeta.

“No dia 25 passado os organizadores do concurso passaram um e-mail para mim dizendo que um dos meus quadros, ‘Mata amazônica’, havia sido escolhido como vencedor entre quadros de todo o Brasil”, contou.

Interessante é que desde 2018 ‘Mata amazônica’ não pertence mais a Rosemberg, vendido para um colecionador de obras de arte.

“Mandei uma foto e ganhei o prêmio, o primeiro prêmio de minha carreira como artista plástico. Agora vou continuar procurando outros concursos nas redes sociais e firmar meu nome nas artes”, avisou.

Agora, junto com os artistas plásticos Rejane Melo e Alfredo Araújo, Rosemberg desenvolve um projeto que tem por objetivo, através de palestras e oficinas, ensinar moradores de comunidades carentes a transformar, em pequenas obras de arte, objetos recicláveis que iriam para o lixo.   

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email