Artesanato local terá destaque na Copa

Buscando divulgar o artesanato brasileiro e o avanço em sua qualidade, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas) promove nas cidades-sede da Copa do Mundo, o showroom ‘Brasil Original,’ um espaço para cooperativas, associações e empreendedores individuais que trabalhem com produtos que tenham a cara do Brasil. Em Manaus, o showroom será montado no Amazonas Shopping, funcionando de 24 de maio a 27 de junho.
A capital amazonense por ser a única cidade-sede da região Norte abrigará no espaço, representantes do artesanato do Pará, Rondônia e Tocantins. Entre os locais estarão presentes além das associações de Manaus, artesãos dos municípios de Atalaia do Norte, Barcelos, Novo Airão, Parintins, Reserva de Amanã, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga.
Todos os participantes passaram por capacitações com o Sebrae-Am, explica a gestora de projetos de artesanato, Lílian Simões. “Participamos dando as orientações de mercado, melhoria nos produtos, bom acabamento, consultoria e diversificação dos artigos. Ali, o preço será definido pelo artesão, este define valores e melhor modo de negociar. A ideia é promover a autonomia”.

Selecionados
Para participar do espaço foram selecionados produtores de localidades que já eram polos de artesanato, facilitando o contato e quebrando barreiras de mercado, contando para isso com o apoio da Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica)
“Percebemos alguma resistência, quando o assunto era design. Alguns artesãos imaginavam que as peças seriam modificadas, aí entrou a Fucapi que tem experiência no Design Tropical e deu esse suporte, que consistia em melhorar o que já era feito e diversificando matérias-primas, sem alterar o original”, disse Lílian.

Participantes
Capacitada pelo Sebrae-Am, a Coopamart (Cooperativa Amazonense de Artesanato) virá ao espaço com sete cooperados, que trabalham nas feiras da Eduardo Ribeiro e Tenreiro Aranha no Centro e Ponta Negra.
A cooperativa teve sua fundação junto com o início do projeto ‘Brasil Original’, há dois anos.
A união destes artesãos em uma entidade é comemorada pela presidente da cooperativa, Terezinha Socorro. “Agora podemos trabalhar com encomendas, estudar o mercado e negociar de forma justa. Por trabalharmos em escala podemos produzir e entregar o que for pedido, estamos mais organizados”.
Para o espaço a Coopamart produziu centenas de peças, entre biojoias, cestarias e palhas, itens de decoração com utilização de tecidos, pedras, madeira e sementes. “Pensando nos turistas, focamos em peças pequenas que são baratas e podem ser carregadas com facilidade. Se não vendemos uma peça de mil reais, podemos vender mil de um real, por exemplo”, fecha.

Do interior
A vocação para trabalhar a madeira, sementes e fibras do interior do Estado, também estará no showrrom. Produzindo bolsas com fibra de arumã, fio de tucum e pigmentos naturais, Duda Gonçalves de Tabatinga estará no espaço de artesanato e também passou pelos cursos do Sebrae. “A capacitação foi de grande valor, aprendi técnicas que não conhecia. Uni minhas habilidades e experiência com o ensino do Sebrae e percebi uma mudança, para melhor, em meu trabalho”, conta.
A marchetaria, arte de empregar madeiras incrustadas, embutidas ou aplicadas em peças de marcenaria, formando desenhos variados será representada pela Associação dos Produtores Novart, do município de Barcelos, provando que a cidade tem outros atrativos, além do turismo e dos peixes ornamentais.
“O espaço nos dá a chance de trabalharmos direto com o cliente. A capacitação nos deu habilidade para negociar e pensamos em exportar, abrindo para o mercado nacional e internacional, ganhando assim nossa autonomia”, conta o associado Simeão Bezerra.

Autonomia
As capacitações e projetos do Sebrae para o artesanato brasileiro são variados, assim como os prêmios. Um deles é o trienal ‘Top 100’ que reconhece cem unidades produtoras de todo o país, promovendo a autonomia dos artesãos.
“Em todas as edições, temos o reconhecimento de duas ou três unidades produtoras amazonenses. Com o showroom esta exposição trará maior visibilidade e consequentemente maiores vendas e não mais dependendo do assistencialismo”, resume Lílian Simões.
O Sebrae-Am já havia levado em 2013, ao Rio de Janeiro artesãos amazonenses, que participaram do Centro de Referência do Artesanato Brasileiro e dos showrooms da Copa das Confederações.
“Tivemos ótimos resultados e sempre temos ações voltadas ao fortalecimento do segmento”, encerra.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email