Arrecadação federal avança 7,1% em maio

Como tradicionalmente acontece, em maio, o ‘leão’ federal do Amazonas abocanhou uma quantia menor que a de abril, excluindo-se a Receita Previdenciária, de acordo com informações no site da Receita Federal. Assim como o resultado do país, que amargou queda de 16,3% ante o mês imediatamente anterior, o Estado obteve um recuo de 13,05%, arrecadando R$ 641,62 milhões ante R$ 737,87 milhões.
Porém, quando comparada a igual período do ano anterior (R$ 599,09 milhões), a performance resultou em um incremento de 7,1%, a mesma variação de crescimento anotada nos cofres nacionais do órgão.
Apesar das medidas macroprudenciais aplicadas pelo BC (Banco Central) no final de 2010 para conter o consumo e, consequentemente, impedir a alta da inflação, o aumento da atividade comercial favoreceu o crescimento da arrecadação, segundo o delegado adjunto da DRF/MNS (Delegacia da Receita Federal em Manaus), Alzemir Vasconcelos.
Por sinal, dados recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre o comércio varejista amazonense apontam que em abril houve uma elevação de 6,4% no volume de vendas em confronto a igual período do ano passado.

Receita Previdenciária

Vasconcelos responde que, atualmente, o maior montante adquirido pelo órgão é de responsabilidade da Receita Previdenciária, seguido pela Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).
No entanto, de acordo com dados da delegacia, o imposto previdenciário respondeu por uma parcela levemente inferior ao da contribuição. No total, foram arrecadados R$ 796,34 milhões na região, dos quais 30% foram alcançados pela previdência e 30,04% pela Cofins.
Mesmo assim, Vasconcelos argumenta que, ao contrário de outros tributos, a Receita Previdenciária tem aumentado mensalmente, devido a recuperação do emprego formal. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) comprovam este fator, pois em abril a região gerou 4.300 postos, o melhor desempenho da Região Norte.
A previsão da Delegacia de Manaus para o mês era que a Receita Tributária chegasse a R$ 227,53 milhões e totalizasse R$ 1,13 bilhão na soma de janeiro a maio. Contudo, para ‘alegria do leão’, estes algarismos foram 4,70% superiores à projeção mensal e, na ordem de R$ 1,15 bilhão, já são 1,94% mais elevados no acumulado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email