Arrecadação estadual bate recorde em janeiro

Nem mesmo a ‘ressaca’ de início de ano fez o leão sossegar. Logo no primeiro mês de 2011, a Receita estadual atingiu seu recorde de arrecadação, abocanhando nada menos que R$ 498,33 milhões, segundo dados da Sefaz-AM (Secretaria de Estado da Fazenda)
O valor ultrapassa em 18,47% o saldo de igual período do ano anterior, ainda gravado como o melhor ano para a Receita.
Porém, se a boa fase da Receita permanecer em 2011, a situação pode se inverter, o que não é, necessariamente, um bom sinal para os contribuintes. O resultado ultrapassou as expectativas do órgão tributário, um percentual 3,59% maior ao que foi orçado.
O secretário de estado da Fazenda, Isper Abrahim, comenta que os valores refletem muito do movimento de dezembro, mesmo assim, sinalizam um ano favorável. “Entretanto, ainda temos que analisar o comportamento da economia mundial e nacional ao longo desse primeiro semestre”, frisou.
Enquanto isso, pela primeira vez desde 2011, o tão conhecido ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) alcançou, em janeiro, a casa dos R$ 400 milhões, totalizando R$ 468,30 milhões.
Neste caso, nenhum setor conseguiu se proteger de ser a ‘refeição’ do leão, já que todos os segmentos tiveram os melhores índices para o mês. A indústria, como sempre, foi a detentora do posto de maior ‘colaboradora’, com uma expansão de 23,56% sobre dados de mesmo mês de 2010, com R$ 225,20 milhões contra R$ 182,26 milhões. Com este saldo, o segmento também obteve um valor R$ 14,75 milhões a frente do que foi previsto pela Secretaria.
O comércio teve uma variação de 14,14% ante 2010 (R$ 171,07 milhões), atingindo R$ 195,26 milhões. Já o setor de serviços abrangeu uma soma de R$ 47,85 milhões, uma diferença de R$ 4,22 milhões ao que foi arrecadado ano passado (R$ 43,63 milhões).
Mas, ‘como nem tudo são flores’, ambos os segmentos anotaram números inferiores a expectativa do orçamento esperado pela Secretaria. Uma queda de 1,14% e 5,01%, respectivamente, na cifra esperada.

IPVA responde por R$11,35 milhões

Com a performance do varejo de veículos automotores em 2010, registrando 5.387.485 automóveis vendidos, dentre autos, caminhões, motos, entre outros, de acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), não é uma surpresa o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) demonstrar o melhor desempenho, com uma fatia de R$ 11,35 milhões.
O diretor do Departamento de Arrecadação da Secretaria, Gilson Nogueira, fala que, por enquanto, a inflação não tem impactado nas vendas e, consequentemente, na arrecadação, que é o resultado da produção e do consumo.
O que não quer dizer que a atuação se mantenha pelos próximos meses.
Segundo Abrahim, embora as informações contribuam para pensar de maneira contrária, o governo ainda se mantém cauteloso. Ele ressalta que o corte no orçamento do país talvez reflita na linha de investimento e na circulação da riqueza, o que pode afetar o PIM (Polo Industrial de Manaus), ainda mais por conta da região fabricar produtos que, em sua maioria, não são bens essenciais.
“Estamos estudando as situações, para agir de maneira firme ao longo do processo”, destacou. Nogueira afirma que ainda assim a previsão do órgão é crescer de 8% a 12% neste ano. O orçamento estipulado para a Receita em 2011 gira em torno de R$ 6,31 milhões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email