Arrecadação do Amazonas atinge R$335 milhões em julho

A arrecadação de tributos estaduais apresentou um crescimento de 11,41% em julho ao atingir o montante de R$ 335,63 milhões, em relação aos R$ 301,24 milhões arrecadados em igual período do ano passado. No acumulado até julho deste ano, a receita tributária do Estado apresentou um crescimento real de 5,20% ao variar de R$ 2,09 bilhões para R$ 2,2 bilhões num quadro comparativo aos mesmos meses de 2006.
O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), principal tributo do Estado, se elevou em 9,91% no mês passado ao totalizar o montante de R$ 307,45 milhões, ante o resultado de R$ 279.72 milhões obtidos no mesmo intervalo do ano anterior.
Entre os meses de janeiro a julho foram arrecadados R$ 2 bilhões com esse imposto, número acima em 6,95% à cifra de R$ 1,87 bilhão registrada nos mesmos meses do ano passado.

O secretário de Estado da Fazenda, Isper Abrahim, avaliou que esse total arrecadado é resultante do aquecimento das atividades econômicas do Estado do Amazonas. Segundo o executivo, tanto a indústria do PIM (Pólo Industrial de Manaus), quanto o setor comercial estão numa fase de aquecimento. “Esse cenário positivo tem ocasionado reflexos positivos na arrecadação de tributos”, destacou.
No valor arrecadado por setores, a participação do segmento industrial, maior contribuinte de impostos, se elevou em 5% ao variar de R$ 1 bilhão obtido nos sete primeiros meses do exercício anterior para R$ 1,05 bilhão registrado até julho deste ano. Enquanto o setor comercial, segundo maior contribuinte, apresentou uma variação positiva de 11,86%, atingindo o valor de R$ 725,43 milhões, ante o montante de R$ 648,48 milhões obtidos nos mesmos meses de 2006.

Para manter os bons resultados na receita tributária estadual, a Sefaz (Secretaria da Fazendo do Estado do Amazonas) irá investir R$ 350 mil na adequação de softwares para disponibilizar o serviço de emissão da nota fiscal eletrônica via internet às empresas. “Neste mês estamos finalizando o processo de licitação para contratação desses serviços que representam um importante avanço tecnológico, a favor do Amazonas, o qual terá melhor eficiência na fiscalização de tributos”, explicou o executivo.
De acordo com Isper Abrahim, a nota fiscal eletrônica também irá beneficiar às empresas que poderão ter até redução de custo com esse recurso tecnológico. “As pessoas jurídicas deixarão de ter gastos com papel para emitir a nota fiscal e também a vantagem de contar com um sistema mais eficiente e rápido”, destacou o secretário de Fazenda.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email