Após oito dias, termina greve na fábrica da Bosch

Terminou na última quinta-feira, 23, depois de oito dias, a greve dos funcionários da metalúrgica Bosch em Curitiba. Os 3.600 trabalhadores estavam parados para protestar contra o valor da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) proposta pela empresa.
O acordo fechado entre sindicato e empresa, em audiência realizada na sexta-feira, 24, no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), foi de R$ 6.500 -menos do que os R$ 9.000 reivindicados pelo sindicato, mas mais do que os R$ 4.800 propostos inicialmente pela Bosch.
Na última terça-feira, 21, a Bosch havia conseguido dividir o movimento grevista propondo uma PLR de R$ 6.000, que foi aceita pelos funcionários administrativos (que representam cerca de 25% do total do quadro pessoal). Com o novo acordo, porém, todos os trabalhadores receberão R$ 6.500 de PLR.

“Assédio moral”

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, Sérgio Butka, o valor não foi o ideal. Ele reclamou de “assédio moral” por parte da Bosch, e disse que a empresa pressionou os trabalhadores a voltarem ao trabalho e aceitarem o acordo de R$ 6.000.
A unidade da Bosch em Curitiba produz bombas injetoras para veículos a diesel -fornecidas para montadoras de veículos pesados (ônibus, caminhões e tratores). A maior parte das vendas da unidade é exportada.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email