Apoio do Idam à produção vegetal sustentável ganha destaque

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) trabalha para apoiar o desenvolvimento sustentável da agricultura no estado, incentivando práticas de cultivos agroambientais que propiciem mais oportunidades, estabilidade e segurança aos produtores familiares. Para este fim, a Gerência Estadual de Produção Vegetal (GPV) trabalhou em diversas ações ao longo do ano de 2020, que incluíram o incentivo a novas tecnologias adaptadas às condições regionais, o fomento de sementes e mudas, a implantação e o acompanhamento de unidades de observação e unidades demonstrativas de várias culturas de interesse econômico.

Para o extensionista e gerente da GPV, Pedro Chaves da Silva, as atividades de maior destaque deste ano foram a distribuição de mais de 24,76 toneladas sementes de milho para um público de 1.200 agricultores familiares, em parceria com Conab/Sepror e Idam, e 14 mil mudas de guaraná, através do Projeto Prioritário da cadeia Produtiva do Guaraná no Amazonas.

O acompanhamento e avaliação de colheita na Unidade de Observação do Cará (UO Cará) e a implantação da Unidade de Referência Tecnológica de Banana e Açaí no município de Caapiranga, em parceria com Embrapa Amazônia Ocidental, também foram destaque, assim como o apoio na implantação de sistemas de irrigação para culturas agrícolas e de interesse da pecuária na região metropolitana de Manaus e entorno.

“Com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), iniciamos uma parceria para a elaboração de projeto de implantação de duas Unidades de Observação (UO) para produção de sementes de malva, visando subsidiar a publicação de coeficientes de produção de sementes, diminuindo assim a dependência de sementes de outros estados”, disse.

Pedro explica que ele e sua equipe têm trabalhado a lado a lado com as unidades locais em questões de planejamento de sistemas de irrigação e levantamento in loco de áreas para implantação de sistemas de irrigação em fruticulturas, culturas industriais e culturas de ciclo curto, além de apoiar na manutenção de sistemas, com destaque para as culturas de açaí, banana e pastagem em sistema rotacionado. Segundo ele, os municípios com a maior ocorrência destas culturas foram Rio Preto da Eva, Iranduba, Itapiranga, Silves, Manicoré, Caapiranga, Autazes, Manaquiri e Manaus.

“Também temos auxiliado na coleta de amostras de solo, análise, interpretação e recomendação de adubação, bem como auxiliando na logística operacional para recebimento e envio de amostras aos laboratórios da Ufam e Embrapa Amazônia Ocidental, em Manaus. Além disso, apoiamos e orientamos nossas equipes na prescrição de receituários agronômicos, cadastramento de ART de cargo e função de profissionais, bem como ações de elaboração, acompanhamento e diagnóstico de sintomas em culturas olerícolas, frutíferas e culturas industriais”.

Ele ressaltou ainda a importância de um atendimento imediato às demandas das unidades locais e dos produtores, bem como a importância da presença da equipe da GPV na realização de ações in loco.

“Como gerência, visamos a valorização técnica e a eficiência no cumprimento das atividades voltadas ao público beneficiário, além do uso de ferramentas de informática, aplicativos e plataformas de conteúdo técnico para apoiar nas ações ligadas à produção vegetal. A presença da equipe GPV na realização de ações conjuntas com equipes técnicas tem trazido resultados positivos, mesmo em período de pandemia, no processo de orientação e até mesmo na execução de ações de campo”.

Para o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, o trabalho realizado junto às unidades locais tem sido de grande importância para o apoio aos produtores familiares, tanto no aspecto tecnológico como no fomento à agricultura. Segundo ele, intensificar a cooperação entre a Gerência de Produção Vegetal e as unidades locais é uma das metas para 2021.

“O foco da direção do Idam para 2021 é manter uma presença constante junto às unidades locais. Queremos aumentar em grande escala o plantio de açaí, guaraná, banana e da fruticultura em geral e culturas industriais, a exemplo do que estamos fazendo com a pecuária, com tecnologia, genética, assistência técnica e crédito rural”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email