Apenados do programa ‘Trabalhando a Liberdade’ iniciam manutenção de parques e praças em Manaus

Na manhã desta quarta-feira (09/12), apenados do sistema prisional do Estado iniciaram os trabalhos de manutenção em parques e praças públicas na capital amazonense. A iniciativa faz parte do projeto “Trabalhando a Liberdade”, desenvolvido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

A parceria entre as pastas viabilizará serviços de limpeza e conservação do Largo de São Sebastião, Parque Jefferson Péres, Praça Heliodoro Balbi e Praça Antonio Bittencourt, no Centro; e Parque Rio Negro, no São Raimundo.  Ao todo, 36 apenados do regime semiaberto foram selecionados para trabalhar nas localidades, em expedientes diários de 8 horas, que ao final serão convertidos na redução da pena. 

“No ano passado, a gente realizou um trabalho de manutenção no Largo de São Sebastião e a partir daí surgiu essa proposta, a partir de orientação do governador, de realizar a manutenção em outras praças como a gente está vendo agora. É um trabalho importante para a gente porque agrega essa mão de obra e ainda presta esse serviço à sociedade, também dando oportunidade aos apenados”, destacou o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.

Economia 

De acordo com o secretário titular da Seap, coronel Vinicius Almeida, a manutenção dos espaços públicos por meio do projeto gera para o Estado uma economia de 50% quando comparada aos gastos com a contratação de uma empresa terceirizada para a realização do serviço. Ele destaca ainda que os apenados passaram por qualificação para receberem a oportunidade de trabalho, que será remunerado no valor de um salário mínimo, com verba proveniente do Fundo Penitenciário do Amazonas.

“Essas pessoas foram selecionadas, foram qualificadas e aí passaram a trabalhar aqui. Como funciona isso? Através do Fundo Penitenciário do Amazonas. No início do governo Wilson Lima o fundo existia, mas não era ativado, existia apenas no mundo jurídico, então nós ativamos na Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda), e isso permite que, por exemplo, a Secretaria de Cultura faça um repasse orçamentário para a Seap e, através do fundo, a gente possa executar o pagamento, a remuneração do interno”, destacou Almeida.

Oportunidade

Na avaliação do secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, a iniciativa é importante por retirar das ruas pessoas que estavam marginalizadas, trazendo-as de volta para o convívio social de maneira digna e favorecendo toda a sociedade.

“É uma oportunidade que está sendo dada para essas pessoas que já estão aqui do lado de fora, não estão mais trancafiadas no sistema prisional, porém não tinham a oportunidade que deveria ter sido dada pela sociedade. O Governo está dando essa oportunidade”, avalia Bonates.

A apenada Wayllajohna Ferrieli foi uma das que abraçaram a oportunidade e diz acreditar no poder da mudança por meio do projeto. “É uma oportunidade de ser bem vista pela sociedade. A gente, como ex-presidiária, querendo ou não, nós somos muito discriminados. Eu tenho certeza que todas essas pessoas que estão aqui trabalhando realmente querem mostrar que são pessoas diferentes, que realmente podem mudar”, diz.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email