Apagões de luz dão início a briga política

A questão do abastecimento de energia e dos constantes ‘apagões’ ocorridos em todo o Estado voltou a ser alvo de protestos populares representados por parlamentares em diversos municípios do Amazonas. Para afinar o discurso, deputados estaduais vão participar de audiência pública que inclui Itacoatiara e Parintins, na próxima semana, que deve reunir cidadãos e vereadores para discutir a prestação dos serviços da Amazonas Energia. Entre as principais queixas estão o alto valor cobrado nas faturas de luz e as constantes interrupções no fornecimento de energia, algumas com duração superior a 13 horas seguidas de apagão.
O primeiro embate público aconteceu esta semana no Plenário da Assembleia , por solicitação do deputado Nelson Azêdo (PMDB) e contou com a presença de quatro vereadores de Itacoatiara e cinco de Parintins, além de representantes da Amazonas Energia e do Programa Luz para Todos. Após mais de duas horas de debate, a audiência pública foi sugerida pelo deputado Sinésio Campos (PT). Em Manaus, o problema dos apagões tem deixado a população revoltada, principalmente por serem períodos de mais de 12 horas sem energia e, na maioria das vezes, sendo pela parte da noite e entrando pela madrugada.
Contrapondo todos os fatos ocorridos no Estado, o assistente da presidência da Amazonas Energia, coronel Doly Boucinha e Radyr Gomes de Oliveira, gerente-executivo do programa Luz Para Todos, apresentaram dados e gráficos para ilustrar o bom desempenho e investimentos das respectivas instituições no interior e revelaram que há uma sobra de energia. Os representantes anunciaram, ainda, a chegada de um novo gerador para Itacoatiara, prevista para o próximo mês de dezembro.

“Em 2010, a usina de Itacoatiara será reforçada”, informou Boucinha, comentando que o crescimento desordenado das cidades influencia no fornecimento de energia. “O município de Itacoatiara antes tinha 12 bairros e agora tem 36, isso dificulta o oferecimento de serviços como energia, segurança e água. A expansão desordenada não é culpa da Amazonas Energia”, defende.
Nas cidades mais desamparadas a empresa colocou geradores de luz onde tais aparelhos nunca existiram antes. Radyr Gomes falou sobre o  planejamento e investimentos realizados em 2009, para a capital e o interior, e as pretensões para 2010. As medidas, segundo ele, eliminarão as quedas de energia em todo o Estado.

Usinas a gás

Segundo informações da Amazonas Energia, Anamã, Anori, Caapiranga e Codajás terão usinas a gás. Para a aquisição das quatro usinas a licitação foi aberta nesta semana. Quanto à garantia de que existe energia sobrando em Itacoatiara e Parintins, vereadores destes municípios afirmaram que desconhecem a informação e questionaram os motivos, portanto, dos constantes e duradouros. Para o deputado Nelson Azêdo, essa explicação técnica do representante da Amazonas Energia precisa ser verificada, porque não se pode entender os apagões se tem energia sobrando.
Para os vereadores de Parintins, liderados por Valter de Oliveira Lobato a má prestação de serviços de energia está prejudicando as escolas que paralisam aulas e também o comércio.
“Para mim, isso e brincadeira, não é verdade. Parintins com sobra de energia. Acho que isso aí é chamar a nós, vereadores, de mentirosos”, disse o vereador.
Quanto aos eletrodomésticos que são inutilizados pelas falhas de energia, o representante da empresa explica que a pode ressarcir, mas, para isso, o usuário precisa notificar, por escrito, como e quando os aparelhos foram queimados por conta da queda de energia.
Sobre o fornecimento, Radyr Gomes jogou a responsabilidade para as prefeituras municipais. “Existe um convênio com o município. É obrigação das cidades cuidar do fornecimento”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email