Anac anuncia investimento de R$ 120 milhões na Amazônia

Para sanar definitivamente os problemas da falta de infra-estrutura e segurança nos locais, as bancadas de parlamentares dos estados da região vão elaborar emendas ao Orçamento da União para destinar ainda mais recursos para esse setor.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) vai investir no próximo ano os R$ 120 milhões previsto para o Profaa (Programa Federal de Auxílio a Aeroportos) nos aeródromos do interior da Amazônia.
Para sanar definitivamente os problemas da falta de infra-estrutura e segurança nos locais, as bancadas de parlamentares dos estados da região vão elaborar emendas ao Orçamento da União para destinar ainda mais recursos para esse setor.
O acerto foi feito ontem numa reunião entre a deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB) e o diretor de Infra-Estrutura Aeroportuária da Anac, Alexandre Barros. “São aeroportos de interesse nacional, estamos cientes de falta de investimento do governo no setor”, disse Alexandre Barros, para quem a unidade do Congresso Nacional, governos e prefeitos do interior será fundamental para resolver o problema da crise da aviação regional.
A deputada Vanessa Grazziotin disse que a concentração de recursos nos aeródromos do interior encontrará respaldo por parte dos parlamentares da região que, sem dúvidas nenhuma, darão a contrapartida por meio de emendas ao Orçamento.
Na região, o Amazonas é o que apresenta a situação mais crítica. No estado estão com restrições operacionais os aeródromos de Eurinepé, Coari, Barcelos, Humaitá, Fonte Boa, Lábrea, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira, São Paulo de Olivença, Carauari e Parintins.
Situação idêntica estão no Pará os municípios de Altamira, Tucuruí, Itaituba e Carajás. No Tocantins encontra-se com problema o município de Araguaína.

Reunião emergencial

Na próxima quarta, 20, às 8h, na sua sede em Brasília, a agência fará uma reunião emergencial para avaliar a situação do interior do Amazonas.
De imediato, a agência estuda a liberação de pouso e decolagem para pequenas aeronaves em Barcelos, onde começou a temporada de pesca esportiva, que atrai todos os anos para a cidade turistas brasileiros e de outros países.
Para o encontro em Brasília, serão chamados um representante do governo amazonense, da Secretaria de Aviação Civil do Ministério da Defesa e dos municípios amazonenses. A idéia é que essa seja uma reunião de trabalho, ou seja, como encaminhar a solução dos problemas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email