Amorim sugere que Unasul discuta crise entre Venezuela e Colômbia

O ministro Celso Amorim sugeriu na quinta-feira que o CDS (Conselho de Defesa Sul-americano), criado em março pelo países da União de Nações Sul-americanas (Unasul) seja convocado para discutir a crise diplomática entre Venezuela e Colômbia.
“Acreditamos, inclusive, que não seria descabido ter um reunião do Conselho de Defesa, da Unasul, porque isso, aliás é uma sugestão que eu havia dado ao próprio ministro da Colômbia. Porque isso contribuiria para uma maior transparência e espero que possa também tranquilizar os ânimos”, disse Amorim, durante encontro com o ministro das Relações Exteriores da Espanha, Miguel Ángel Moratinos.
Os dois chanceleres pediram explicações aos Estados Unidos e à Colômbia sobre o novo acordo militar entre os dois países. Amorim afirmou que vai solicitar ao embaixador brasileiro em Washington que entre em contato os americanos.
“Nós recebemos algumas explicações no sentido de que as bases continuarão sob administração da Colômbia e que o número de efetivos não é maior do que existe hoje no Plano Colômbia [plano militar dos EUA contra o tráfico internacional de drogas]. Seria apenas um novo quadro jurídico.
De qualquer maneira, sempre é algo que desperta alguma preocupação. Porque vivemos em um continente pacífico e a presença de bases de fora do continente sul-americano sempre é algo que gostaríamos de entender melhor”, afirmou o brasileiro.
“Não temos ainda mais informações. Vamos entrar em contato com a Colômbia e com os EUA para que nos expliquem a razão dessa nova abertura de bases. Esperamos que isso aconteça sempre com a vontade de não criar mais tensões e, sobretudo, evitar uma nova militarização na América Latina”, disse o chanceler espanhol. O acordo militar entre os governos colombiano e americano seria um dos elementos da nova crise diplomática. Na terça-feira, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, “congelou” as relações com seu vizinho e convocou de volta o embaixador venezuelano em Bogotá.
O chanceler espanhol esteve com Chávez nesta quarta-feira e afirmou que ele se mostrou disposto a dialogar e negociar. “Temos que trabalhar neste momento para que não haja um espiral de desencontros. Temos que reconstruir a relação de confiança entre os dois países”, afirmou Moratinos.

Acordo militar

O ministro Celso Amorim (Relações Exteriores) pediu na quarta-feira mais transparência da Colômbia sobre o possível acordo militar com os Estados Unidos, um dos elementos da nova crise diplomática entre colombianos e venezuelanos. As declarações foram feitas durante encontro com o ministro das Relações Exteriores do Egito, Aboul Gheit.
“Eu acho, pessoalmente, que se há uma preocupação em relação a um novo acordo militar entre a Colômbia e os Estados Unidos, seria bom, digo isso no total espírito de amizade, que a Colômbia, transparentemente, diga o que é, para que as pessoas ouçam e vejam. Para que possa haver uma discussão. Inclusive, com esse objetivo foi criado o conselho de defesa”, disse Amorim, em referência ao Conselho de Defesa Sul-americano.
O organismo foi estabelecido em março pelos países da União de Nações Sul-americanas (Unasul), com o objetivo declarado de fortalecer a confiança mútua através da integração, do diálogo e da cooperação em matéria de defesa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email