Ameaças contra Symbian caem em 2012

Estudo da F-Secure aponta para uma forte queda no número de ameaças à plataforma Symbian nos últimos três meses do ano passado. No caso do Android, foram detectadas 301 novas famílias de malwares, responsáveis por 79% de todas as ameaças no ano.
O Symbian concentrou apenas 4% de todas as ameaças contra dispositivos móveis, aponta um estudo da F-Secure (www.f-secure.com) que mapeou as principais ameaças cibernéticas em ambiente móvel no último trimestre de 2012. A queda foi significativa já que, entre janeiro e setembro do ano passado, a plataforma concentrou uma média de 26% do total de ameaças móveis. Em 2012, esse taxa média ficou em 19%, contra 29% em 2011.
Um total de 301 novas famílias de ameaças e variações foram detectadas no ano passado. E os malwares para a plataforma Android mantiveram um aumento na participação, responsáveis por 79% de todas as ameaças no ano, superior aos 66% registrados em 2011. Os números são o oposto de 2010, quando foram contabilizadas 62% das ameaças contra a plataforma Symbian, e apenas 11% para o Android.
“Os malwares em geral possuem uma relação de parasitas com o seu hospedeiro”, afirma Sean Sullivan, consultor de segurança da F-Secure. “À medida que os antigos aparelhos Symbian são substituídos por dispositivos com outros sistemas operacionais, em especial o Android, os malwares destinados ao Symbian perdem força e, provavelmente, estarão extintos este ano”, explica o executivo.
Do total analisado no estudo, 66% das detecções de malwares em dispositivos móveis no ano passado era composto por Cavalos de Tróia (Trojan), um número que Sullivan espera que caia ao longo de 2013, em virtude do lançamento do Android 4.2 Jellybean, pelo Google, no fim de 2012. A segurança extra, acionada ao realizar downloads na versão 4.2, deve ajudar a eliminar os Cavalos de Tróia e, considerando que as ferramentas de monitoramento e espionagem se tornam cada vez mais parte desse cenário, ameaças relacionadas à vigilância serão responsáveis por uma parcela maior de ataques.
Uma grande parte das ameaças a Androids encontradas no quarto trimestre foi formada por malwares que lucram a partir de práticas fraudulentas no envio de SMS. Das 96 variações de ameaças ao Android encontradas, 21 eram mantidas por Premium SMS, uma família de malware que envia mensagens a números de telefone com tarifas altas. Outras utilizam táticas similares, algumas inscrevendo a vítima a um serviço de assinatura com base em SMS. As mensagens ou notificações destes números e serviços são apagadas, e o usuário só irá perceber que foi vítima do ataque quando as tarifas aparecerem em sua conta.
O estudo completo da F-Secure sobre ameaças móveis no quarto trimestre de 2012 está disponível em http://www.f-secure.com/en/web/labs_global/. No link, também há informações sobre o Citmo, novo Cavalo de Tróia bancário móvel.

Sobre a F-Secure

A F-Secure desenvolve soluções de segurança em software e serviços com o objetivo de proteger conteúdos que trafegam em computadores e dispositivos móveis de empresas e usuários finais. Comercializadas no modelo SaaS, as soluções da F-Secure são utilizadas por mais de 200 operadoras de telefonia em 40 países, totalizando um mercado potencial de 250 milhões de clientes de banda larga fixa e móvel. Fundada em 1988 e com sede em Helsinque, na Finlândia, a F-Secure conta com mais de 990 profissionais espalhados em 20 países, incluindo o Brasil. A empresa está listada na NASDAQ OMX Helsinki Ltd. Website: www.f-secure.com

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email