AmBev registra baixa de 7,2% no lucro líquido do semestre

A AmBev (Companhia de Bebidas das Américas) obteve lucro líquido de R$ 448,7 milhões no segundo trimestre deste ano, volume 7,2% menor no comparativo com igual período de 2006. No acumulado dos seis primeiros meses, a empresa lucrou mais de R$ 1 bilhão, com queda de 3,9% frente ao mesmo intervalo do ano passado.
O recuo no lucro deve-se principalmente ao aumento da amortização de ágios relacionados às operações com a Labatt, a Quinsa e a Cintra. Excluídas as amortizações, o lucro líquido por lote de mil ações registra alta significativa de 13,1% em relação ao mesmo período do ano passado.
AmBev alcançou Ebitda (lucro apurado antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,84 bilhão no segundo trimestre de 2007, resultado 16.5% superior ao registrado durante o mesmo período de 2006.

O resultado deste trimestre é especialmente significativo para a AmBev, já que o segundo trimestre de 2006 foi positivamente influenciado pela Copa do Mundo, o que o torna uma forte base de comparação. As operações no Brasil contribuíram com 66% do Ebitda, enquanto a América Latina Hispânica – HILA contribuiu com 9,6%, e as operações da América do Norte, com 24,4%.
No segundo trimestre deste ano, as vendas chegaram a 31,2 milhões de hectolitros, volume 4,9% superior ao registrado em 2006. No mercado brasileiro de cervejas, o volume de vendas aumentou 4,6%, incluído o resultado de Cintra, fruto da transação concluída em abril deste ano. Organicamente, ou seja, excluindo Cintra, o volume vendido ainda cresce 3,2%, sempre comparando os resultados ao segundo trimestre de 2006.
As vendas do segmento de RefrigeNanc -que inclui refrigerantes, não-alcoólicos e não-carbonatados- aumentaram 10,4%, alcançando 5,4 milhões de hectolitros. A receita líquida por hectolitro de RefrigeNanc aumentou 8%, refletindo principalmente a mudança no mix de produtos vendidos, ainda com destaque para o bom desempenho da H2OH!.

Mercado internacional

As vendas da Quinsa aumentaram 6,7% em volume e a unidade contribuiu com 10,2% do Ebitda consolidado. Nos países que compõem a HILA-ex (República Dominicana, Guatemala, Equador, Peru, Venezuela, Nicarágua e El Salvador), o Ebitda foi negativo em R$ 10,7 milhões, uma melhora significativa em relação aos R$ 27,1 milhões negativos registrados em 2006.
No Canadá, o Ebitda registrado no segundo trimestre de 2006 foi de R$ 450 milhões, o que representa 24,4% do resultado consolidado. As vendas cresceram 4.7%, graças ao volume adicional trazido pela Lakeport, adquirida em março de 2007, e a margem Ebitda saltou de 38,3% no ano passado para 41,3%.
Como resultado, a margem de Ebitda consolidada registrou 40,8%, 150 pontos percentuais acima dos 39,3% de 2006.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email