Amazonense representa o Brasil na Worldskills

xxxxx

Mil e 200 alunos de 62 países participam da Worldskills, em sua 43ª edição, maior evento de educação profissional mundial. O evento foi aberto na noite de terça-feira (11), no Ginásio do Ibirapuera, São Paulo, com desfile das delegações e coreografias realizadas por mais de 400 bailarinos. Na apresentação da Região Norte, o levantador de toadas David Assayag e dançarinos mostraram a dança folclórica do boi de Parintins.
A delegação brasileira está composta de 56 competidores e entre eles está o amazonense Maurício Duarte, aluno do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), de 20 anos, que concorre na ocupação Vitrinismo.
Para Duarte, cantar o Hino Nacional diante dos estudantes destaques no desempenho de atividades profissionais, em seus países, foi um marco em sua vida.
“Estou muito feliz de participar deste evento grandioso que valoriza a excelência do ensino profissional no mundo. Espero que toda a iniciativa que ocorre no Brasil até sexta-feira seja mais um estímulo para que jovens de nosso país conheçam o SENAI e as oportunidades de se formarem em uma das ocupações que a instituição oferece na capacitação de jovens para o mundo do trabalho”, disse.
Presente na abertura do Worldskills, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Antonio Silva, destacou que o evento apresenta as novas tecnologias aplicadas na metodologia do ensino profissional e nas ferramentas de trabalho da indústria e serviços.
“A competição de jovens dos cinco continentes traz importância além da conquista de medalhas, vai além de pódios. A principal conquista é a do conhecimento, da transferência de tecnologias, da oportunidade de participantes e visitantes absorverem as melhores técnicas no ensino de uma profissão que formam profissionais qualificados, tornando a indústria mais competitiva e sustentável”, declarou Silva.
A Worldskills conta com apoio de instituições de ensino técnico de vários países, como o SENAI, que é um dos cinco maiores complexos de educação profissional do mundo e o maior da América Latina. A instituição brasileira investe na qualificação de jovens e adultos há mais 70 anos, possibilitando aos seus alunos o conhecimento de uma profissão, emprego, renda e cidadania.
A delegação brasileira foi a última a entrar no Ginásio do Ibirapuera e contagiou todo o público presente com a emoção de ser anfitriã da primeira edição do mundial num país da América Latina.
O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, relembrou que o Brasil é conhecido não só pelo tamanho de seu mercado interno, mas também pela força de suas indústrias e redes de serviços, além da excelência de seus centros de estudos e da qualificação de seus profissionais.
“A indústria é responsável por 23,4% do Produto Interno Bruto nacional, a atividade econômica que mais gera empregos e a mais procurada por jovens que pretendem iniciar as suas vidas profissionais. Além disso, é o setor que paga os maiores salários a seus funcionários”, informou Andrade.
O presidente da Worldskills, Simon Bartley, destacou que a organização do evento prospecta uma experiência ao visitante no sentido de chamar a atenção para as competências que fazem a diferença para manter o mundo funcionando e a garantia de um futuro cada vez melhor para todos.
“Esses jovens trabalharam muito duro para conquistarem um lugar aqui. Agora, eles estão imersos em uma competição intensa, e a sua presença e respeito pelos esforços e excelência desses competidores vai encorajá-los ainda mais. Meu palpite é que, ao longo destes quatro dias, vocês vão encontrar coisas incríveis que vão chamar sua atenção e instigar sua imaginação”, declarou Bartley nas boas-vindas do evento.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email