‘Amazone-se’ estimula o potencial turístico amazonense

Mostrar o Amazonas como um destino doméstico nesse período de retomada: foi o tema central do webinar realizado pela Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), no dia 6 de outubro juntamente com os profissionais da Amazonastur. De acordo com o presidente da Braztoa, Roberto Nedelciu, o Amazonas tem figurado entre um dos destinos mais procurados por turistas brasileiros nesta pandemia.
Um estudo revelou que em 2019, mais de 300 mil brasileiros embarcaram para as regiões Norte e Centro-Oeste do País, o que representou um faturamento de R$ 480 milhões.

A divulgação dos atrativos turísticos ganhou reforço com o lançamento do site promocional da Amazonastur, que tem como principal objetivo “Vender” o destino Amazonas no Brasil e no exterior. O site visit-amazonas.com pode ser acessado em três idiomas (Português, Inglês e Espanhol) e compõe o programa para a retomada do turismo. No visit-amazonas.com, os interessados terão acesso a vídeos, fotografias e diversas informações sobre atrativos do estado como: birdwatching (observação de pássaros), cruzeiros, hotelaria de selva, gastronomia, pesca esportiva, turismo de pesca, de aventura, religioso e, ainda, sobre parques e reservas.

A Amazonastur elencou mais de 20 motivos que despertam o interesse em conhecer as belezas naturais e os encantos culturais do Amazonas, passar o dia em um flutuante, interagir com os botos, vivenciar a conservação da floresta estão entre os encantos que os visitantes não podem deixar de vivenciar, além dos ícones Teatro Amazonas, Encontro das Águas e um Passeio ao Mercado Adolpho Lisboa, o Mercadão.

O programa Amazone-se terá ao todo, quatro vídeos que visam promover o Turismo local e que, de acordo com o assessor de Marketing da Amazonastur, Alex Azêdo será lançado um por semana. Também receberá reformar nos Centros de Atendimento ao Turista (CATs) e no terminal de passageiros do Aeroporto de Barcelos; a instalação de infraestrutura turística em comunidades indígenas e no entorno de Manaus; e melhorias na infraestrutura, na Serra da Valéria, comunidade localizada no município de Parintins, onde os cruzeiros marítimos fazem parada obrigatória durante a alta temporada no Amazonas.

Protocolos

Foi elaborado um guia completo para orientar os empresários do setor em tempos de retomada, e garantir ao turista a tranquilidade que todos exigem no pós-pandemia. São vários protocolos que orientam os empresários e garantem ao turista a segurança que todos esperam no pós-pandemia. As sugestões foram selecionados por área: agências de viagens, guias de turismo, turismo de pesca, bares e restaurantes, hotelaria, transporte terrestre e fluvial, centro de eventos e eventos.

Agências de Viagens

Distanciamento social com sinalização visual; Uso constante de máscaras; Uso tecnológico: Mapas digitais, gestão de filas, criação de pacotes e vendas on-line; Uso de dispositivos para pagamento com recibo eletrônico; Wi-fi gratuito para clientes na loja; Gerenciamento de assentos e filas de acordo com os requisitos de distanciamento social; • Limitação da capacidade máxima para evitar aglomerações. Roteiros Nacionais – Atendimentos via e-mail, WhatsApp e redes sociais com o maior número de informações sobre o destino procurado pelo cliente; Manter as portas abertas em tempo integral; Evitar reuniões presenciais em área fechada, ou se imperiosamente necessário reduzir o número de participantes e controlar o tempo de duração; Disponibilizar produtos e tecnologias para a higienização e desinfecção dos sapatos na entrada dos estabelecimentos.

Guias de Turismo

Devem obedecer a várias medidas afim de evitar a contaminação e a propagação do vírus: Fazer limpeza frequente das mãos na entrada e saída dos atrativos e averiguar de forma antecipada os pontos para lavagens das mãos nos atrativos, destacando dentro da rota prevista; Incentivar os turistas ao hábito das lavagens de mãos e evitar tocar nos olhos, bocas e nariz; Utilizar máscara e luvas; Exigir o uso de máscara pelos turistas;  Posicionar os turistas com distanciamento entre as pessoas de no mínimo 1,5m; Caso o atrativo não disponibilize de lavatórios, deve-se sempre portar álcool em gel e oferecer aos turistas; Fazer parcerias com empresas que seguem as medidas de biossegurança; Evitar compartilhamento de materiais e equipamentos, como celular, máquina fotográfica, entre outros; Portar sacolas pequenas para o descarte de materiais dos visitantes.

Eventos

As orientações aqui listadas visam padronizar as ações de empresas e profissionais que trabalham com eventos no período pós-pandêmico, reconstruindo a confiança de patrocinadores, expositores e público: Circulação com capacidade reduzida entre os pavilhões e nos próprios estandes; Distanciamento de 2 metros entre as pessoas nas filas de acesso ao evento; • Registros e credenciamento virtuais para o público e expositor; Manter o local arejado, se possível, com janelas abertas; Em caso de eventos que contenham ‘plateias’, como congressos, disponibilizar assentos com mínimo de 1m de distância ou pular um assento; No evento, manter o distanciamento de 1 pessoa a cada 2 metros; Estandes abertos e ventilados (exceto depósito), com corredores mais largos; Praça de alimentação com maior espaçamento entre as mesas; Implantação, quando possível, de corredores de uma só via para coordenar o fluxo de clientes nos salões.

Pesca Esportiva

Com um impacto forte que paralisou cerca de 80% das suas atividades, o protocolo cita orientações estabelecidas pela Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva – ANEPE, para que os turistas e pescadores possam ter segurança ao retomar suas viagens, e também para orientar os destinos turísticos de pesca esportiva a fazer ações de sanitização que possam resguardar a saúde dos viajantes e de seus colaboradores.

Pedir do cliente o exame sorológico para Covid-19 dez dias antes de sua viagem, além de atualizar a carteira de vacinação (Febre Amarela e Hepatite);  Para quem já foi contaminado pelo covd-19, deverá informar no ato da reserva; Orientar o turista para fazer avaliação médica antes da viagem, com uma possível prescrição do médico para obtenção de um kit com medicações a serem usados em caso de sintomas durante a pescaria; Procurar cenários com menor aglomeração; Levar alimentação para o trajeto e evitar sair do ônibus ou carro nas paradas; Uso de máscara em todo o trajeto; Alojar máximo de 02 pessoas por apartamento, com exceção de famílias com crianças pequenas; Os documentos de todos devem ser entregues pelo líder do grupo na recepção afim de distribuir as chaves dos alojamentos aos viajantes; Realizar check-in virtualmente antes da chegada.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email