Amazonas tem alta de 4,34% em dívidas

A Serasa divulgou recentemente estudos que mostram alta de 10,8% no nível de inadimplência de pessoas físicas no país. Considerando janeiro a abril de 2009, o Indicador Serasa Experian de Inadimplência de Pessoa Física registrou a elevação de mais de 10 pontos percentuais referentes ao primeiro quadrimestre de 2008.
A variação de 2008 e 2009 no mês de abril consolidou aumento de 8,9%. No Amazonas, a média de inadimplentes no trimestre teve aumento de 4,34%, com adição de 90.700 no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), sobre o mesmo período do ano passado.
Para o presidente da FCDL-AM (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas), Ralph Baraúna Assayag, o Estado está em melhor situação que o restante do Brasil. “Enquanto o nosso Estado registrou média de menos de 5%, o restante do Brasil chegou a dois dígitos chegando a mais de 10%”, disse.

Diminuição de devedores

Ele explica ainda que a FCDL-AM trabalha no sentido de diminuir a incidência de devedores no registro de inadimplentes. “Todos os anos a Federação, junto com as Câmaras, faz campanhas para incentivar as pessoas a quitarem seus débitos, inclusive com a oferta de descontos no pagamento integral da dívida”, enfatizou Assayag.
Os dados da Federação são referentes às dividas não pagas dos setores de comércio e serviços.
No ano passado a FCDL do Amazonas registrou a entrada de 86.755 devedores no SPC, tendo no mês de abril o principal agregador, com 22.555 pessoas.
De acordo com a Serasa, nos primeiros três meses de 2009, na relação com o mesmo período de 2008, a alta foi de 11,4%. E no cálculo de março de 2009 sobre março de 2008, o avanço foi de 16,6%. Portanto, a inadimplência do consumidor está crescendo, porém em ritmo inferior ao registrado nesse início de 2009.
O relatório aponta o ­elevado nível de desemprego, consequente da crise financeira, como principal causa do aumento do índice de inadimplência.
O estudo também observa que a utilização intensa do cheque especial e do crédito rotativo do cartão de crédito, criam problemas no equilíbrio do orçamento familiar.

Índice aponta redução de 9,5% em inadimplência

Em abril de 2009, o indicador apontou uma queda de 9,5% na inadimplência das pessoas físicas sobre março. Foi o maior recuo registrado desde junho de 2006. Segundo a pesquisa, “a queda é atribuída ao efeito calendário: foram 20 dias úteis em abril, contra 22 em março”.
O levantamento da empresa retrata, ainda, que o mês de abril marca o fim do período mais crítico de despesas fixas para o consumidor, como IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).
De janeiro a abril deste ano, o ranking da ausência de pagamento de contas das pessoas físicas foi liderado pelas dívidas com os bancos, estabelecida em 43,5%, contra 43,1% no mesmo período do ano passado.
Na segunda colocação estão dívidas com cartões de crédito e financeiras, que neste quadrimestre foi de 37,1%; ficando o acumulado do ano com 31,5%.
Os cheques devolvidos somam 17,5% nos quatro primeiros meses deste ano, com 23,1% no mesmo período de 2008, fechando com redução de 5,6%.

Cheque sem fundo

O valor médio de R$ 374,91 foi registrado na maioria das dívidas originadas de cartões de crédito, nos quatro primeiros meses deste ano.
Nas instituições bancárias o valor médio obtido no quadrimestre foi de R$ 1.333,15. Os títulos protestados aumentaram 14%, registrando média de R$ 1.042,81 de janeiro a abril.
Os cheques sem fundo apresentaram média de R$ 844,69, resultando em 32,6% de crescimento, se comparado com igual período de 2008.
O Indicador Serasa Experian de Inadimplência de Pessoa Física analisa o quadro nacional, sem divulgar os dados separados por Estado.
O modelo estatístico é de múltiplas variáveis e considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras e cartões de crédito e financeiras.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email