3 de dezembro de 2021

Amazonas registra expansão de novas unidades de supermercados

Após represamento de unidades que seriam inauguradas em 2020 e não foram por causa da pandemia, o Amazonas registra expansão de 25% de novas unidades de supermercados no primeiro semestre de 2021. É o que revela o levantamento realizado pela Geofusion, líder no segmento de inteligência geográfica no país. 

Apesar do percentual ser considerado inferior ao registrado no período pré-pandemia, onde houve a abertura de 48,2% novos negócios no segmento, o índice representa leve recuperação. Em números absolutos isso significa mais 795 unidades abertas no estado. Em 2020, esse dado ficou em 25,4%. O potencial de per capita de compras no estado, neste ano, é de R﹩ 1,64 mil.

O setor, considerado essencial para o comércio varejista, foi um dos poucos que se manteve a pleno vapor mesmo durante o auge da crise sanitária. Destacam-se, nesse contexto, o fato de as pessoas terem ficado mais tempo em casa, com o aumento do consumo de alimentos nos domicílios, e o pagamento do auxílio emergencial, que garantiu renda mínima aos mais vulneráveis.

Com o início da pandemia em 2020, muitas inaugurações foram adiadas. Os dados mais atuais fornecidos pela Geofusion, mostram que no primeiro semestre deste ano o setor de supermercados recuperou seu ritmo de crescimento pré-pandemia.

O segmento de supermercados tem apresentado tendência de expansão desde 2015 em todo o país. Até 2018, houve variação entre 15% e 20%, no primeiro semestre. De janeiro a junho de 2019, o aumento do número de novas unidades foi ainda maior: 39,5% em relação ao primeiro semestre de 2018. Com o início da pandemia em 2020, muitas inaugurações acabaram sendo adiadas.

Embora não acolha a pesquisa com esse volume todo de novos negócios no setor, Ralph Assayag, vice-presidente da Amase (Associação Amazonense de Supermercados), destaca que o setor no Amazonas ganhou espaço com a abertura de novas lojas. “O semestre foi movimentado com a  inauguração de ao menos seis estabelecimentos entre supermercados e lojas de atacado”. 

Diante do saldo positivo no semestre, ele estima que até o fim do ano, o setor deva manter boa performance seguindo tendência de novas unidades e ampliação do segmento. “As varejistas que estão sendo inauguradas estão apostando na ampliação de seus produtos, como por exemplo, a linha branca, eletroeletrônicos. Ao estender seus nichos, acabam  vendendo mais”.

Nacional 

Do ponto de vista nacional, o levantamento da Geofusion, aponta que o ritmo de abertura de supermercados no primeiro semestre de 2021 superou o índice registrado no período pré-pandemia. Enquanto o primeiro semestre de 2020 teve 8,4% novas lojas a mais que no mesmo período do ano anterior, nos seis primeiros meses de 2021, o número de novas unidades registrou alta de 43,9%.

Ranking 

Os dez estados que registram maior expansão, no primeiro semestre de 2021, foram: Acre (86,0%), Sergipe (70,5%), Pernambuco (63,9%), Roraima (63,5%), Bahia (61,9%), Piauí (59,6%), São Paulo (56,5%), Amapá (56,5%), Tocantins (52,2%) e Paraíba (48,0%). Todos esses estados vinham apresentando crescimento no indicador, e, em diversos momentos, estiveram no ranking dos estados com maior expansão em termos proporcionais.

Quando se trata de números absolutos, destacam-se São Paulo, com abertura de quase sete mil lojas; Bahia, com quase quatro mil unidades; Minas Gerais, com 3,3 mil; Rio de Janeiro , com 2,6 mil; Rio Grande do Sul e Ceará, ambas com aberturas de aproximadamente 2,2 mil unidades, e por fim, Pará, Goiás, Paraná e Pernambuco, com cerca de 1,8 mil novos estabelecimentos.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email