Amazonas & o turismo – Parte 3

A Indústria do TURISMO é o segmento do setor de Serviços mais importante, economicamente, para o desenvolvimento econômico regional para qualquer país e/ou estado, como o AMAZONAS que possui o privilégio de locus naturais (ornatos e equipamentos naturais potenciais) ímpar para essa Indústria. O TURISMO interno começa aquecer com a chegada do verão nesse último quartil de 2021. Ao serem impossibilitados de transitar e viajar, as pessoas ficaram em casa imaginando como serão suas próximas viagens de férias no pós pandemia? Dentre os segmentos da Economia em todos os países, o TURISMO foi o que mais teve os piores momentos e paralisações totais, fechamento de todas as atividades e desemprego total nessa pandemia. Apesar de tudo, há uma expectativa, com a temporada de verão que se aproxima no Brasil, para levantar a Indústria do TURISMO.

O Brasil é um verdadeiro continente e, para o TURISMO tem tudo que precisa para alavancar essa Indústria, internamente o turista pode escolher para onde viajar, praias, montanhas, campo, turismo religioso, cidades maravilhosas, diversidade cultural e florestas com seus ornatos naturais, etc, como os do AMAZONAS. Como todos sabem, a AMAZÔNIA já pontua, mundialmente, como um dos locus turísticos mais exóticos da terra, não sendo diferente com o AMAZONAS, apesar dos despreparos e inapetências locais, com sua extensão, sua biodiversidade e diversidade econômica. E assim, para esses novos tempos, grandes desafios a enfrentar nessa pós pandemia irá ter pela frente, dessa forma a Indústria do TURISMO, deverá adotar novas plataformas, tais como: a) quantos recursos humanos trazer de volta ao trabalho e quando? b) providenciar melhores experiências ao turista, desde sua partida até sua chegada, assegurando-lhe ao mesmo tempo segurança epidemiológica durante toda prestação do serviço; c) maximizar as oportunidades e criação, inovações adicionais, acrescentando qualidade e valor aos serviços prestados; d) ser mais eficientes nos processos dos serviços prestados, utilizando ao máximo os meios de tecnologias e automação disponíveis para os serviços do TURISMO. A Indústria do TURISMO deverá trabalhar muito mais para se recuperar totalmente, e aprender lições dessa pandemia que levarão a uma alavancagem  e modernidade maior. Por outro lado, a retomada da prática social implementada pelo turista é primordial à atividade turística, como segmento econômico, e como objeto de consumo, que é o espaço, na escalada e efervescência de vida nos lugares visitados.

Desse modo, o TURISMO apresenta-se como uma atividade econômica mais complexa e diversificada que produz novas relações nos espaços (regiões) emissores de turista como nos receptores, transformando infraestruturas e relações locais para melhor atendimento ao turista que visita, acarretando maiores ações e processos para o desenvolvimento econômico regional. Os turistas exigirão cuidados especiais na questão da saúde, tanto de receptores quanto nos aspectos das viagens de deslocamentos, pois o medo de uma nova crise pandêmica sanitária ampliará as necessidades e exigências para a retomada da Indústria do TURISMO. Se pode identificar que a pandemia deixou a maior consequência para os turistas foi a ansiedade de se viver mais esse momento. No atual momento de transição e incertezas, a Indústria do TURISMO pode beneficiar a economia amazonense nesse segmento se adoção de um Plano Estratégico Econômico pelo governo estadual for significativo para a construção do Desenvolvimento Econômico Regional no futuro que a sociedade amazonense almeja, onde se vislumbram Polos Turísticos na imensa região do Estado do AMAZONAS. Além do mais, a priorização a ser adotada poderá transformar o reconhecimento de que os municípios dispõem de maior grau de potencial, pela força de seus atrativos e o mínimo de infraestrutura já instalada. Sem embargo, os polos, há tendência é do turismo ir se desenvolvendo através de ondas concêntricas até complementariedade entre polos.

Podendo se tratar da integração do mercado intermunicipal de produtos turísticos não necessariamente exclusivo à área espacial de cada município. Sem sobressalto, as viagens nacionais serão as principais tendências do turismo pós-pandemia, espera-se que o turista busque destinos menos caros e mais sustentáveis, ou seja, essa é uma grande oportunidade para explorar a cultura e os aspectos ambientais nacionais. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email