28 de junho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Amazonas Jazz Day será no sábado

Este ano completa dez anos da primeira celebração do Dia Internacional do Jazz, em 30 de abril. A data foi criada, em 2012, pela Unesco e desde então seu embaixador tem sido o idealizador da data, o pianista Herbie Hancock, considerado um dos mestres do jazz, esse estilo musical americano surgido entre o final do século 19 e início do 20, em Nova Orleans, a partir de uma variação de ritmos de músicos negros descendentes de escravos, tanto que os grandes nomes do jazz são todos negros, Miles Davis, Chet Baker, Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Nina Simone, John Coltrane, Louis Armstrong, Edward Ellington e Dizzy Gillespie, entre outros.

Em Manaus a data é comemorada desde 2018, como Amazonas Jazz Day, idealizada pelo baterista e percussionista Leonardo Pimentel, e pelo guitarrista Régis Gontijo. Em 2020 e 2021 as comemorações não aconteceram por conta da pandemia, mas voltam este ano com 14 instrumentistas e cantores subindo ao palco do Teatro Amazonas no sábado (30), a partir das 20h.

“Tivemos a ideia de reunir músicos amazonenses para participar do International Jazz Day, evento global que acontece em cerca de 190 países. Manaus não poderia ficar de fora desse acontecimento tão importante para quem aprecia esse estilo musical que tem se renovado constantemente nesses mais de 100 anos de existência”, falou Leonardo.

“Manaus se destaca como uma das sedes do International Jazz Day por meio do Amazonas Jazz Day. O evento reúne os jazzistas da cidade no palco do Teatro Amazonas em uma experiência única fundindo os grandes clássicos do jazz com a música amazônica. Os músicos prometem arranjos exclusivos”, completou o cantor Humberto Amorim.

Duas horas de som

Sucesso de público e crítica, o Amazonas Day Jazz teve suas primeiras edições em 2018 e 2019.

“Depois de um período difícil para todos nós, podemos voltar e fazer essa fusão musical, misturando os elementos amazônicos com o jazz. Esse é o grande diferencial do Amazonas Jazz Day”, afirmou Leonardo.

“O nosso Jazz Day está conectado a uma mensagem de paz nestes tempos de guerra. Todos nós estamos comovidos com essas questões que afetam a humanidade. Estamos sensíveis a isso tudo, e o jazz traz uma mensagem de esperança por dias melhores”, disse Régis.

Serão duas horas de som divididas em três partes. O show começa com os músicos da Amazonic Jazz Essemble interpretando composições do trompetista Freddie Hubbard, da dupla Erroll Garner e Johnny Burke, do saxofonista Charlie Haden e do nosso Teixeira de Manaus, o rei do beiradão. Detalhe: nessa primeira parte se apresenta a única mulher entre os ‘marmanjos’, a cantora e contrabaixista acústica Aline Fagan. Aline já circulou pelo rock, metal, pop e MPB, mas se apaixonou pelo jazz desde que descobriu o ritmo.

Em seguida acontece a segunda parte com Humberto Amorim, acompanhado do Blues na Floresta, interpretando ‘Only you’ e ‘I get a kick out of you’.

“A minha participação vai ser pontual, com o blues, o pai do jazz, em meio a esses ‘feras’ amazonenses”, destacou Humberto.

Na terceira e última parte, Humberto sai de cena e o Blues na Floresta continua interpretando clássicos de Marcus Miller, Al Jarreau e George Benson, do guitarrista paulista Felipe Ávila e dos caboclos amazonenses Ítalo Jimenez e Ênio Prieto.

“Queremos fazer uma fusão do jazz tradicional americano com a música amazônica, o beiradão, os tambores do marabaixo e do gambá, estes, tocados por mim. O Ricardo Sá vai tocar uma japurutu, flauta indígena, enfim, queremos mostrar que o jazz é um estilo bastante eclético, por isso tem se perpetuado por décadas”, concluiu Leonardo.

Músicos e repertório

A cada edição o Amazonas Jazz Day tem mesclado músicos antigos com novos nomes. Neste ano brilharão no palco: Airton Silva (bateria), Alexandre Oliveira (trombone), Aline Fagan (contrabaixo acústico e voz), Ênio Prieto (sax soprano), Ítalo Jimenez (sax tenor e flauta transversal), Júlio Feitosa (piano), Humberto Amorim (vocal), Leonardo Pimentel (bateria e percussão), Marcelo Figueiredo (guitarra), Regis Gontijo (guitarra), Roger Vargas (contrabaixo acústico), Robson Silva (piano), Servio Túlio (contrabaixo elétrico), e Ricardo Sá (sax e flautas indígenas).

O repertório será composto de First light (Freddie Hubbard), Desmontando o sax (Teixeira de Manaus), Misty (Erroll Garner/Johnny Burke), Our spanish love song (Charlie Haden), Amazônico (Adal), Only you (Ande Rand/Buck Ram), I get a kick out of you (Cole Porter), Ângelus blues (Ítalo Jimenez), Tambaqui (Felipe Ávila), Long come Tutu (Marcus Miller e Al Jarreau), True blue (George Benson), e Nasce o Sol (Ênio Prieto).

Quem quiser assistir ao Amazonas Jazz Day do conforto de sua casa, poderá fazê-lo através da TV Encontro das Águas. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e no site https://www.bilheteriadigital.com/amazonas-jazz-day-2022-30-de-abril. Informações: 9 9177-9381.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email