AMAZONAS – Custo da construção é o 6 ° maior do país

O custo médio do metro quadrado da construção civil no Amazonas encerrou dezembro em R$ 847,60, variando 5,32% no ano de 2011, índice menor que a inflação de 6,5%. Com o resultado, o Amazonas possui o sexto maior preço por metro quadrado da construção civil do Brasil. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que divulgou, na última sexta-feira (6), o Sinapi (Índice Nacional da Construção Civil) que calcula a produção de custos da construção civil, a partir do levantamento apenas de preços de materiais e salários pagos no setor. O acumulado nacional no ano é de 5,65%, abaixo de 2010, quando o índice ficou em 7,36%.
O supervisor de Disseminação de Informações do IBGE no Amazonas, Adjalma Nogueira, ressalta que o cenário do índice menor que a inflação é uma ótima notícia para o setor. “Os preços da construção civil tendem a se manter, principalmente os lançamentos”, disse. De acordo com ele, as construtoras embasam o custo da obra em cima dos insumos e mão-de-obra. O índice nacional serve também como parâmetro para as obras que o governo licita.
O resultado no Estado também foi puxado pela variação média de 9,6% nos salários da mão-de-obra empregada na construção. Segundo Adjalma, isso decorreu pelo aumento na demanda por mão-de-obra local, que valorizou os salários da categoria. De modo geral, houve aumento nos salários de carpinteiros, eletricistas, mestre-de-obras, pedreiros e outras funções durante o ano de 2011.
Já o vice-presidente do Corecon-AM (Conselho Regional de Economia do Amazonas), Francisco Mourão Júnior, acredita que a diminuição dos juros por parte do governo federal influenciou no crescimento da construção civil e deve estimular o setor. “O mercado está aquecido com a baixa de juros e também pelo fator Copa do Mundo e o ‘Minha casa, minha vida’”, disse.
Segundo Adjalma, o Amazonas tem o sexto maior preço no país por conta da situação logística e fiscal.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email