Pesquisar
Close this search box.

Alimentos com preços estáveis

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos em Manaus de maio, analisada mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo Horus & FGV IBRE, apresentou leve alta de 0,3% em relação ao mês anterior, tendência contrária ao comportamento verificado em cinco das oito capitais pesquisadas, que foi de queda.

Dentre as 8 capitais pesquisadas, Manaus possui a 2ª cesta básica mais barata, no valor de R$ 668,73, perdendo apenas para Belo Horizonte, cujo valor é de R$ 623,60. A cesta mais cara é a do Rio de Janeiro, de R$ 918,25, seguida pelas de São Paulo (R$ 853,05).

Alguns produtos que apresentaram maiores altas de preços em maio em Manaus, e também na maioria das demais capitais, foram ovos (2,3%), massas alimentícias secas (1,0%), fubá e farinhas de milho (1,1%) e carne bovina (2,6%).

A tendência de alta do preço dos ovos tem se mantido pelo quarto mês consecutivo, mesmo com a redução nos preços do milho e soja, que são componentes principais dos custos de produção dessa proteína. Uma das possíveis explicações dessa alta deve-se à recente redução nos números de aves poedeiras, em função da alta dos custos de alimentação das galinhas, bem como à produção reduzida durante o outono, devido ao frio.

Por outro lado, o óleo de soja registrou redução de preço em Manaus e em todas as outras capitais analisadas, em função da alta na oferta ocasionada pelo aumento da área de plantio de soja no país.

Além do óleo, outros produtos que registraram queda de preço em Manaus e em quase todas as capitais foram arroz, margarina, café e pão, dando um alívio no café da manhã para o consumidor.

Nos últimos 6 meses, o valor da cesta acumula queda de 5,2%, em linha com verificado nas demais capitais, exceto no Rio de Janeiro, que apresentou alta de 4,9% no mesmo período.

Os alimentos que mais subiram de preço nos últimos seis meses, em Manaus foram farinha de mandioca (34,1%), legumes (21,6%) e frutas (18,4%), acompanhando tendência verificada nas demais cidades pesquisadas.

“Apesar de não ter sido registrada redução no valor da cesta básica em Manaus, como verificado em outras capitais, a variação foi bem pequena, refletindo uma situação de quase estabilidade. Ao mesmo tempo, é possível perceber uma redução no ritmo inflacionário, inclusive com queda nos preços de produtos importantes da alimentação básica na mesa do consumidor, como óleo, arroz, margarina, café e pão, gerando um alívio no bolso, especialmente da parcela menos favorecida da população”, afirma Luiza Zacharias, Diretora de Novos Negócios da Horus.

Outros recortes

A cesta mais cara continua a ser a do Rio de Janeiro (R$ 918,25), seguida pelas de São Paulo (R$ 853,05) e Brasília (R$ 736,88).

A alta do preço dos ovos pelo quarto mês consecutivo, em quase todas as capitais, tem se mantido, mesmo com a redução nos preços do milho e soja, que são componentes principais dos custos de produção dessa proteína. Uma das possíveis explicações dessa alta deve-se à recente redução nos números de aves poedeiras, em função da alta dos custos de alimentação das galinhas, bem como à produção reduzida durante o outono, devido ao frio. A oferta limitada de leite no campo, em função do clima adverso e devido à saída de produtores da atividade no ano passado, tem impactado no preço do produto e de seus derivados. Rio de Janeiro, 2 de junho de 2023. Por outro lado, o óleo de soja registrou redução de preço em todas as capitais, em função da alta na oferta ocasionada pelo aumento da área de plantio de soja no país.
 

Além do óleo, outros produtos que registraram queda de preço em quase todas as capitais foram margarina, café e pão, dando um alívio no café da manhã para o consumidor. A variação acumulada no valor da cesta básica, nos últimos seis meses, caiu em sete das oito capitais, com reduções que variam de -12,6% a -0,6%. Apenas no Rio de Janeiro foi registrado aumento no período, com alta de 4,9%. Rio de Janeiro, 2 de junho de 2023. Os alimentos que mais subiram de preço nos últimos seis meses, em praticamente todas as capitais, estão apresentados na próxima tabela do release.
 Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve redução no valor médio em cinco das oito capitais analisadas e aumento nas outras três capitais. As cidades que apresentaram valores mais altos da cesta ampliada foram Rio de Janeiro (R$ 2.085,90) e São Paulo (R$ 1.933,79). As maiores altas no valor da cesta ampliada foram registradas em Salvador (2,8%) e no Rio de Janeiro (2,0%). Já Belo Horizonte e Brasília apresentaram as maiores quedas, com -3,4% e -2,3%, respectivamente. Dos 33 produtos da cesta ampliada, azeite e achocolatado/modificador apresentaram alta de preço em sete das oito capitais. Outros produtos que tiveram aumentos em diversas capitais foram verduras, batata congelada, papel higiênico, massas instantâneas e suco pronto, dentre outros listados nas últimas tabelas do release.

Andréia Leite

é repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar