Aleam enfrenta a problemática médica

Um Grupo de Trabalho Misto (GTM), sob a coordenação da Assembleia Legislativa, contribuirá para a realização de estudos e formulação de propostas sobre os problemas referentes à falta de médicos no interior do Estado e à questão da revalidação dos diplomas de médicos estrangeiros. Sugerida pelo presidente do Simeam (Sindicato dos Médicos do Estado do Amazonas), Mário Viana, a criação do GTM teve o apoio unânime de deputados, secretários, líderes sindicais e representantes de órgãos federais, estaduais e municipais que debateram a problemática durante quatro horas de audiência pública, terça-feira (5), na Aleam.
Presidindo o evento, o deputado estadual Belarmino Lins (PMDB) destacou a importância do Grupo de Trabalho para ajudar no equacionamento das questões de saúde que afligem os municípios amazonenses. O GTM, de acordo com ele, será constituído por parlamentares membros das comissões de Educação e Saúde da Aleam e da Câmara Municipal de Manaus (CMM), além de representantes de Universidades, associações e sindicatos vinculados à saúde no Amazonas.
Belarmino enfatizou que, dentre outras prioridades, o GTM terá condições de avançar sobre a consolidação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários para os médicos. “O Governo do Estado já deu um grande passo em frente nesse assunto, e é óbvio reconhecer que não bastará somente o Plano, mas o oferecimento de reais condições de trabalho para os profissionais de saúde atuarem no interior do Estado”, declarou. O presidente da Aleam, Josué Neto (PSD) confirmou ao JC a criação do Grupo de Trabalho.
Os secretários Wilson Alecrim (SUSAM) e Evandro Melo (SEMSA) elogiaram a criação do GTM e destacaram a disposição do governador Omar Aziz e do prefeito de Manaus, Arthur Neto, para ajudar na busca de soluções para os problemas concernentes à carência de médicos no interior

Saúde Pública

Segundo Alecrim, a contribuição do GTM será de extrema importância porque unirá os governos Federal, Estadual e Municipal visando corrigir os graves problemas que prejudicam a prestação dos serviços de saúde pública com qualidade no interior. Evandro Melo, por sua vez, ressaltou que 1.500 milhão pessoas hoje estão vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), enquanto 400 mil preferem os planos de saúde particulares. “Isso justifica o GTM, inclusive, para achar parâmetros sobre a revalidação dos diplomas de médicos estrangeiros em nosso Estado”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email