ALE discute rota multimodal que liga Amazonas ao Equador

Reduzir o tempo e o custo nas importações de insumos da Ásia para a ZFM (Zona Franca de Manaus) e ampliar as fronteiras comerciais entre o Brasil e o governo equatoriano é o principal motivo do governo do Amazonas estar empenhado na rota multimodal ligando Manaus-Manta (Equador), por intermédio do município de Tabatinga. O assunto foi tratado, em Audiência Pública, de autoria do deputado Sinésio Campos (PT), para debater com o prefeito de Tabatinga, Joel Santos de Lima, técnicos e empresários sobre as questões relacionadas à criação do corredor de importação e exportação, que reduzirá em cerca de 15 dias o tempo atual de 45 dias do percurso Ásia-Canal do Panamá-Manaus.

O deputado explicou que com a contrapartida no acordo bilateral, o governo brasilei-ro estima investir US$750 milhões em infra-estrutura coma construção do porto de Tabatinga, melhorias no aeroporto do município e a construção de um entreposto comercial sul-coreano.
“Do lado equatoriano e peruano, o presidente Rafael Correa calcula um investimento de US$ 2 bilhões em estradas e dragagens”, informou.

O coordenador de estudos econômicos e empresariais da Suframa, José Alberto Machado, apresentou as novidades logísticas que estão sendo implementadas pelo governo, visando reduzir as distâncias entre a Ásia e o PIM (Pólo Industrial de Manaus). Machado disse que o projeto Manta-Manaus está em estágio avançado. Segundo ele, o mesmo deu origem ao acordo bilateral Brasil –Equador, inaugurado pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Rafael Correa, em abril deste ano.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email