Agropecuária Jayoro, exemplo de resistência

Atendendo ao convite do senador João Pedro, visitei, no último dia 29, a Agropecuária Jayoro, única usina de açúcar do Amazonas, localizada no município de Presidente Figueiredo.

Atendendo ao convite do senador João Pedro, visitei, no último dia 29, a Agropecuária Jayoro, única usina de açúcar do Amazonas, localizada no município de Presidente Figueiredo. A comitiva do senador contou com a presença do superintendente do Ibama, Henrique Pereira, superintendente do Incra, Socorro Marques, superintendente da Companhia Nacional de Pesquisas e Recursos Minerais, Marco Oliveira, gerente do Banco da Amazônia, Carlos Bennetti, gerente da Ceplac, Gláucio Silva, e assessores do senador. Fomos gentilmente recebidos pelo diretor Camilo Pachikoski e seu assessor Valtair Carvalho.
Após a apresentação de video institucional foram prestados vários esclarecimentos a respeito do desenvolvimento das atividades da Jayoro. Ao longo dos anos, com muita luta e persistência, a Agropecuária conseguiu superar obstáculos de toda ordem e, hoje, vem produzindo anualmente cerca de 310 mil toneladas de cana, com uma produção de açúcar de 17 mil toneladas e 8 milhões de litros de álcool. Parte do açúcar é negociado com a Coca-Cola. Na época da colheita (julho/dezembro) emprega mais de mil trabalhadores.
Além da cana-de-açúcar, já vem produzindo aproximadamente 400 toneladas de guaraná. Outro dado interessante do projeto refere-se à preservação ambiental. Mostrando, com segurança, imagens de satélites foi possível perceber que nas últimas décadas não houve qualquer tipo de desmatamento. É, no meu entendimento, um empreendimento que precisa ser conhecido pelos amazonenses e, quem sabe, copiado para implementação nas áreas já degradadas do nosso Estado. Contudo, é preciso arrojo e muita coragem.

Leilão de milho
O governo federal, por meio da Conab, continua ofertando toneladas de milho para os criadores de aves, suínos e bovinos de leite das regiões Norte, Nordeste, norte de Minas Gerais e Espírito Santo. Eles têm direito a subvenção para auxiliar nas despesas com transporte. Na última quinta-feira, foram ofertadas 30 mil toneladas do produto, armazenado em Mato Grosso. Desde o início do ano a estatal tem realizado leilões de milho com subvenção para garantir o abastecimento de regiões onde há escassez no período da entressafra. Hoje, será realizado mais um leilão, desta vez de 646 toneladas de arroz. É bom lembrar que os criadores rurais do Amazonas sempre pleitearam uma subvenção diferenciada em função das peculiaridades regionais.

Restaurante Popular e Prefeituras
Os municípios brasileiros com população superior a 100 mil habitantes podem concorrer à seleção pública do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome) destinada à implantação ou modernização de Restaurantes Populares. Para 2008, estão liberados recursos do governo federal de até 27,7 milhões, mas cada cidade poderá ser contemplada com, no máximo, R$ 500 mil para modernização da unidade e R$ 1,4 milhões para implantação. Os Restaurantes Populares são unidades públicas de alimentação e nutrição destinadas ao preparo e a comercialização de refeições saudáveis, oferecidas a preços acessíveis à população, localizadas em municípios com mais de 100 mil habitantes.
Os beneficiários são principalmente trabalhadores em fluxo nos centros urbanos que almoçam fora do domicílio e população em situação de vulnerabilidade social. No País, já funcionam, com recursos do MDS, 34 unidades. O governo federal, por meio do MDS, apóia a construção, reforma e adaptação de instalações prediais, além da aquisição de equipamentos permanentes, móveis e utensílios novos. As Prefeituras ou governos estaduais investem em contrapartidas e são responsáveis pelo gerenciamento da unidade. Para se habilitar a concorrer à seleção de propostas para Restaurantes Populares, Estados e municípios devem enviar os documentos descritos no edital.
Entre os itens exigidos, estão a documentação do imóvel onde será instalada a unidade; ata de aprovação de Conselho Estadual/Municipal; proposta técnico-social, com apresentação das potencialidades locais e o público beneficiário;

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email