Agentes de inovação auxiliam empresas do AM

Aumentar a competitividade, por meio de informações sobre possibilidades de inovação e tecnologia, gerando impacto direto na gestão empresarial e na identificação de novos nichos de mercado para os seus produtos, esse é o objetivo do Projeto ALI (Agentes Locais de Inovação), que é uma iniciativa do Sebrae (Serviço de Apoio as Micros e Pequenas Empresas), que visa promover a inovação nas empresas, por meio de orientações de profissionais especializados que, ao realizarem as visitas, buscam soluções e oferecem respostas às demandas de cada empreendimento atendido.
O presidente do Sebrae, Luiz Barreto alertou para o fato de que todas as atenções estão voltadas aos mais de 100 milhões de consumidores que formam o mercado interno brasileiro. “Os ALI têm papel fundamental para fazer a ponte entre Sebrae e micro e pequenas empresas e de apoiar o segmento a ter seu espaço nesse mercado competitivo”, disse.
O projeto já existe há dois anos e cerca de 450 agentes atuam em todo o Brasil. “Queremos chegar ao final do ano com mil agentes locais de inovação trabalhando no país inteiro”, destaca o presidente do Sebrae, que esteve presente ontem, dia 13, no 2º Encontro Nacional dos ALI, organizado pelo Sebrae e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), órgão que atua em parceria capacitando jovens de nível superior recém-formados para atuarem como agentes locais de inovação.
De acordo com Evanildo Pantoja, analista da Unidade de Tecnologia no Sebrae-AM, o projeto começou a funcionar na capital amazonense apenas no começo deste ano e que hoje há nove agentes atuando na cidade. “Eles vão até a empresa, falam sobre o programa e o empresário decide se quer aderir ou não”, explica. Após a adesão, os agentes fazem uma análise e o diagnóstico de melhorias a serem feitas.
Segundo o Sebrae os agentes costumam encontrar casos de pontos de venda com fachadas escondidas e layout pouco atrativo. Nesse caso, o consultor faz um trabalho de recriação da identidade visual da empresa, passando desde a parte externa do comércio ao interior da loja. Também é comum que os especialistas reformulem todo o sistema de gestão do negócio, para garantir maior produtividade e reduzir o desperdício. O atendimento ao cliente também é analisado de forma criteriosa pelos agentes, assim como a qualidade do produto.
Além dos agentes locais de inovação, participam do programa consultores seniores, especializados em cada segmento atendido. Em conjunto com o agente, o consultor dá um parecer explicativo com todas as possíveis soluções para as falhas do negócio. O diagnóstico é feito gratuitamente, o empresário apenas precisará desembolsar dinheiro para colocar em prática as soluções sugeridas pelos consultores. A inovação a ser implementada na empresa pode ser proporcionada pelo próprio Sebrae ou instituições de desenvolvimento tecnológico.
Pantoja conta que o projeto vai até 2013 e pretende atender cerca de 400 empresas. “Além disso, outra meta é que as empresas atendidas tenham grau de satisfação de no mínimo 70% e elas devem implantar no mínimo duas sugestões dos agentes”, informa.
Entre os benefícios para as empresas que aderirem ao programa, está todo o serviço do ALI, subsidiado pelo próprio Sebrae; Gestão da inovação na empresa, com possíveis ações em produtos, processos, marketing e estrutura organizacional; Sua empresa poderá destacar-se da concorrência e se tornar mais competitiva; Identificação de novas oportunidades de mercado e de inovação; E crescimento e/ou fortalecimento da sua empresa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email