Adesão de energia solar ganha força no Amazonas

O mercado de energia solar no Amazonas vem ganhando cada vez mais espaço e consolidando-se. Já existem muitas empresas em Manaus, com mais de  2 mil projetos instalados e grandes usinas em funcionamento. 

A Expertise Energia Solar entra nesse grupo de empresas com forte potencial dentro desse mercado. A empresa iniciou um projeto de atração de investidores que têm interesse em aplicar recursos no segmento. “Manaus é uma cidade com potencial gigantesco para essa solução porque Manaus tem uma das tarifas de energia mais caras do Brasil, o que motivou milhares de consumidores a investir em energia solar como uma solução definitiva para evitar este custo elevado. O retorno de investimento tanto para o consumidor final, quanto para o investidor é excelente”, declara Bruno Mourão, diretor comercial da Expertise Energia Solar.

Nos últimos dois anos, mesmo com a pandemia, o mercado cresceu mais de 700%. Segundo Bruno Mourão, os grandes projetos de usinas compartilhadas deram a oportunidade para quem mora em apartamento, reside em imóvel alugado ou empresas sem espaço de cobertura aderir a esta tecnologia, e ao mesmo tempo é uma excelente opção para investidores diversificarem suas aplicações financeiras.

Conforme a empresa, o trabalho com as grandes usinas têm atraído investidores que não tinham opção aqui em Manaus para aportar recursos com projetos de grande porte. “Como a gente começou a desenvolver esses projetos, atendemos clientes que não tinham acesso a essa tecnologia, por exemplo, que moram em apartamento e não tinham onde instalar o painel. Com o modelo de usina compartilhada ele compra o painel que está instalado num terreno dividindo aquela área com outros consumidores recebendo crédito no seu apartamento. O painel está gerando lá na usina e o consumidor está recebendo desconto na fatura do apartamento”. O modelo tem sido um sucesso o que fez investidores que observarem esse movimento procurarem a empresa para adquirir recursos e tem feito acelerar cada vez mais o mercado.

Ampliação 

Em abril, a CooperSol (Cooperativa de Energia Renovável no Amazonas), inaugurou, uma usina solar com 2880 painéis de energia fotovoltaica no quilômetro  23 da rodovia  AM 010. Segundo o presidente da CooperSol, Merched Chaar, são 1,2 megabytes de energia gerada nas contas de consumo para cerca de 100 cooperados em forma de créditos em quilowatt-hora, com resultados positivos, acima do esperado. 

“A Expertise Energia Solar referência no mercado de geração distribuída, já está construindo uma segunda usina para geração de energia fotovoltaica que receberá adesão de novos cooperados da CooperSol. E até dezembro, deverá ser construída uma terceira planta geradora de energia limpa, anuncia Merched Chaar. “Nós teremos mais 100 cooperados. Toda hora é gente procurando informações de como fazer parte da cooperativa”. 

Para se ter uma ideia do dinamismo no mercado local, ele lembra que no primeiro dia da ligação da usina haviam 400 placas disponíveis que foram vendidas em duas horas. 

Para ele, dois fatores concorrem para o crescimento deste ramo cooperativo de infraestrutura: 1.Fator econômico. O investimento se paga em no máximo 5 anos, e a geração de energia é garantida por até 25 anos. Isso significa um retorno várias vezes maior do que qualquer outra aplicação financeira no mercado atual; 2. Contribuição para preservação do  Meio Ambiente. A energia gerada é “limpa”.

“Além desta nova usina, há outras sendo construída pela Expertise para empresários que estão de olho no mercado consumidor. O Grupo Bemol saiu na frente. Já dispõe de uma usina e encomendou uma segunda, bem maior que a primeira, que também já está sendo construída. Resumindo Andreia, é um excelente investimento.

Com o mercado em franca expansão as perspectivas é que a pressão crescente sobre poluição ambiental, destruição da camada de ozônio, entre outros, a tendência é o uso de combustíveis fósseis desaparecer. “Em menos de 20 anos só circularão no mundo civilizado automóveis elétricos, as fontes naturais de energia como eólica, hidrelétrica e fotovoltaica, substituirão em praticamente 100% a gerada por combustíveis fósseis, e nossa qualidade de vida será bem melhor, pode apostar”, comenta o presidente da CooperSol. 

 “O investimento para construir uma usina de geração de energia fotovoltaica é bem menor do construir hidroelétricas e eólicas, com tecnologia disponível e de facílima manutenção, não há dúvida, nosso modelo cooperativo já é a melhor saída entre os outros mencionados”. 

Números

Para quem pensa em aderir ao sistema é necessário investir, em 12 placas, no mínimo, com valor de R$1.700 a unidade que totaliza R$ 20.400.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email