Acusação de apologia ao nazismo esquenta dia na CMM

Depois de mais uma manhã sem discussões relevantes, inclusive com a possibilidade de encerramento da sessão por falta de quórum, o plenário da CMM (Câmara Municipal de Manaus) pegou fogo no fim dos trabalhos. Tudo por conta de uma moção de repúdio apresentada pelo vereador Wilton Lira (PDT), contra uma montagem publicada no blog pessoal do vereador Mário Frota (PSDB) no último dia 31 de julho. Na postagem, o presidente da Casa, Isaac Tayah (PSD) – que sabidamente professa a religião judaica – aparece travestido como o ditador alemão Adolf Hitler.
Wilton Lira, que é corregedor da CMM, prometeu acionar o Ministério Público Federal e a corregedoria do Legislativo contra Frota por apologia ao Nazismo e falou até em cassação do mandato tucano. “Eu vou fazer o processo porque isso é imoral. É um crime federal e eu vou representar contra ele. Vou apresentar o processo ao presidente e pedir para que seja aberta, na comissão de ética, um processo contra Mário Frota. (Quero) ou a cassação do mandato dele ou a punição, mas não vai ficar barato”, declarou Wilton Lira.
“Juntar uma pessoa pública como é o doutor Isaac Tayah na figura funesta e nefasta de Adolph Hitler é uma ofensa contra a dignidade e contra a profissão de fé do vereador-presidente e também é um ato de apologia ao nazismo, crime sem direito a fiança, enquadrado pelo artigo 20, parágrafos 1 e 2 da Lei 7.716 de 5 de janeiro de 1989, que criminaliza a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”, diz a moção de repúdio assinada por Wilton Lira.
Mário Frota atribuiu a autoria da montagem a um de seus assessores, mas falou abertamente que considera o líder do parlamento municipal como um ‘pequeno ditador’: “Tayah está agindo como um ‘Hitlerzinho de barranco’ nesta Casa no momento que ele pegou, na minha opinião, de forma irracional, o meu projeto contra o auxílio-paletó e não deixou o plenário examinar. É um direito meu ver meu projeto ser examinado pela Casa”, justificou. Mas, apesar das comparações, Mário Frota negou que exista apologia ao nazismo e chamou de ‘idiotice’ a polêmica levantada por Lira. No fim da manhã, Mário Frota foi tirar satisfações. “Tu és um analfabeto. Não sabe o que é apologia. Apologia é enaltecer, e não criticar”, esbravejou o parlamentar do PSDB.
Ele considerou ainda a atitude do corregedor como uma reação à divulgação (também em seu blog pessoal) da lista dos que votaram a favor da ‘Taxa do Lixo’, da qual Lira faz parte. “Talvez a raiva dele de mim é porque eu estou colocando essas questões. Eu botei a cara deles todas. Eles foram expostos e querem continuar roendo o osso do auxílio-paletó”, disse.
Personagem principal da discussão, o vereador Isaac Tayah declarou-se indignado com a comparação, que considerou um ato de racismo. Ainda segundo Tayah, Mário Frota não ofendeu somente à pessoa dele, mas também toda a comunidade judaica e prometeu entrar na Justiça. “Ele poderia me chamar de tudo, menos me comparar com aquele que ofendeu os judeus e o judaísmo. Eu não recebo desculpas em relação a isso. Trata-se de crimes federais como anti-semitismo, calúnia e difamação”, acusou o presidente.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email