Acordo se propõe a viabilizar modelo sustentável para Estado do Amazonas

A Seap-PR (Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da Presidência da República) e o governo do Amazonas firmaram ontem um acordo de cooperação técnica destinado a integrar as ações estaduais e federais voltadas ao desenvolvimento sustentável da atividade pesqueira na região. A cooperação prevê estabelecimento de parcerias, integração de informações referentes ao setor e apoio mútuo às ações voltadas ao atendimento de pescadores e aquicultores (como registro dos profissionais, assistência técnica e extensão pesqueira), entre outras áreas.

O acordo foi assinado ontem, durante a abertura do 15º Conbep (Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca), em Manaus. O ministro da Aquicultura e Pesca, Altemir Gregolin, assinou o acordo juntamente com o secretário da Produção Rural do Amazonas, Eron Bezerra. O evento aconteceu no Auditório Eulálio Chaves (minicampus), na Ufam (Universidade Federal do Amazonas).

Desenvolver o imenso potencial pesqueiro do Brasil com sustentabilidade ambiental e social é um desafio para gestores públicos, especialistas da área e setor produtivo.

Esse é o foco do 15º Conbep, que acontece até 19 de outubro. A Seap integra o debate, apresentando e discutindo as ações do governo federal destinadas a desenvolver a pesca e a aquicultura no país.

Na abertura de ontem, o ministro falou sobre as perspectivas para a estruturação da produção pesqueira no país, tendo a sustentabilidade como condição básica.

Tema passa por diferentes avaliaçõe

Durante a programação, o tema foi avaliado em diferentes cenários: aquicultura (a criação de peixe e outros organismos aquáticos), recursos pesqueiros, ecossistemas aquáticos, tecnologia da pesca e tecnologia do pescado. Gestores da Seap participam da programação. A situação atual da aquicultura brasileira foi tema de palestra do diretor de Desenvolvimento da Aquicultura da Seap, Felipe Matias.

O papel dos acordos de pesca na promoção da pesca sustentável foi tratado em mesa-redonda coordenada pelo diretor de Ordenamento e Controle da secretaria, Mauro Ruffino.

O programa de rastreamento de embarcações pesqueiras por satélite -que está sendo implementado pela Seap- foi apresentado pela engenheira de pesca Claudia Zagaglia.
O ordenamento da pescaria da lagosta no Brasil -uma série de medidas implementadas desde dezembro pela Seap e MMA/Ibama (Ministério do Meio Ambiente/Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) para reverter a crise na pesca da espécie- foi outro tema em pauta.

O 15º Conbep é promovido pela Federação dos Engenheiros de Pesca do Brasil, Associação dos Engenheiros de Pesca do Amazonas, Ufam e Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), com apoio da Seap e outras instituições.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email