13 de abril de 2021

Acordo com BNDES promove agricultura familiar

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) firmaram, no final de novembro (29), um Acordo de Atuação Conjunta com foco no estímulo à agricultura familiar

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) firmaram, no final de novembro (29), um Acordo de Atuação Conjunta com foco no estímulo à agricultura familiar. O presidente da companhia, Rubens Rodrigues dos Santos, participou da solenidade, realizada no Anexo I do Palácio do Planalto. O instrumento visa a criação de um programa de apoio a pequenos projetos voltados à produção, beneficiamento, processamento, armazenagem e comercialização de produtos da Agricultura Familiar, além de ações destinadas à formalização e estruturação dos grupos produtores rurais de base familiar, que constituem o público destinatário do Programa Brasil Sem Miséria.
O programa será operado em conjunto pela Conab e pelo banco, com recursos financeiros do BNDES Fundo Social na ordem de R$ 23 milhões.

PGPAF concede desconto para 12 produtos

O Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF), neste mês de dezembro, concederá descontos nos financiamentos realizados para o cultivo de 12 produtos, além da cesta de produtos. Os beneficiados serão os produtores de algodão em caroço, babaçu (amêndoa), borracha natural extrativa, café arábica, cará/inhame, castanha de caju, laranja, leite, pequi (fruto), piaçava (fibra), sisal e tomate. A portaria do PGPAF foi publicada na última sexta-feira (7), no Diário Oficial da União (DOU), pela Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA). Os preços de mercado têm validade para o período de 10 de dezembro a 9 de janeiro de 2013. O bônus de desconto tem como referência o mês de novembro de 2012. O Programa garante ao agricultor familiar um desconto no momento do pagamento de seus financiamentos de custeio e investimento. O valor é abatido nos casos em que o preço de mercado do produto financiado está abaixo do preço de garantia. Neste período, o bônus para a laranja é de 32,497% em São Paulo, de 41,25% em Santa Catarina e de 4,08% em Minas Gerais. Para o leite, os descontos são de 10,99% no Maranhão, 9,89% no Ceará e 5,49% na Bahia. A borracha natural extrativa, produto da sociobiodiversidade brasileira, tem desconto em sete estados, variando de 18,16% no Tocantins a 55,24% no Acre. O desconto da cesta de produtos vale para os estados do Ceará (2,47%), Maranhão (2,75%) e Bahia (1,37%). O bônus do PGPAF é calculado mensalmente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado pela Secretaria da Agricultura Familiar (SAF/MDA). A Conab faz um levantamento nas principais praças de comercialização dos produtos da agricultura familiar e que integram o PGPAF. Nas operações de investimento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o bônus pode ser concedido bastando que um produto incluído no PGPAF seja gerador de no mínimo 35% da renda estimada pelo agricultor para o pagamento do financiamento. Os bônus das operações de custeio e investimento ficam limitados a R$ 7 mil anuais por beneficiário do crédito rural. O PGPAF abrange 49 produtos: abacaxi, açaí (fruto), algodão em caroço, alho, amendoim, arroz longo fino em casca, babaçu (amêndoa), banana, baru (fruto), batata, batata-doce, borracha natural cultivada (heveicultura), borracha natural extrativa, café arábica, café conilon, cana-de-açúcar, cará, carne de caprino, carne de ovino, castanha de caju, castanha do Brasil (com casca), cebola, feijão, girassol, inhame, juta (embonecada), laranja, leite, maçã, malva (embonecada), mamona em baga, manga, mangaba (fruto), maracujá, milho, pequi (fruto), piaçava (fibra), pimenta do reino, pó cerífero de carnaúba, raiz de mandioca, sisal, soja, sorgo, tomate, trigo, triticale, umbu (fruto), tangerina e uva.

Produção de grãos será de 180,2 milhões de t

A produção brasileira de grãos para o período 2012/2013 deverá ser de 180,2 milhões de toneladas, conforme estimativa divulgada hoje (6/12) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume representa um aumento de 8,4% ou 14 milhões de toneladas a mais do que a safra passada, que foi de 166,17 milhões. O destaque se mantém para a soja. O produto teve um aumento de 16,24 milhões de toneladas em comparação com o período passado. O milho primeira safra manteve elevação de 607,4 mil toneladas e o feijão primeira safra, um aumento de 66,6 mil toneladas. Área – A área cultivada é de 51,94 milhões de hectares, o que significa um aumento de 2,1% ou 1,05 milhão de hectares se comparado à área da safra passada. O destaque nesse aumento de área ficou com a soja. O grão apresentou um crescimento de 8,8% ou 2,2 milhões de ha, se comparado com o mesmo período em 2011/2012, quando foram cultivados 25,04 milhões de ha.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email