25 de junho de 2022

Acidente aéreo mata geólogo Fred Cruz

O geólogo e superintendente adjunto do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), Fred Cruz, está entre as vítimas fatais do acidente aéreo ocorrido na manhã desta quarta-feira (7) em Manaus. O avião modelo Embraer 720, havia decolado do Aeroclube do Amazonas, por volta das 7h45 e alguns minutos depois caiu em uma área de mata no Parque Dez, na zona Centro-Sul da cidade. Fred Cruz era amazonense e referência em geologia no Estado, além de grande defensor da utilização dos recursos minerais da região.

Segundo o assessor parlamentar Michel Cruz, um dos filhos do geólogo, o pai estava indo para o município de Novo Aripuanã a trabalho. Ele acrescentou que deixou Fred por volta das 06h30 no aeroclube para o embarque. “Meu pai iria se reunir com um gestor de uma cooperativa de mineração e sempre fazia essas viagens”, disse. Após ser informada sobre o acidente, a família chegou por volta das 10h40 no IML (Instituto Médico Legal) para reconhecer o corpo.

Fred Cruz tinha 58 anos e dedicou a vida toda para questões ambientais. Era servidor público do DNPM e atualmente exercia o cargo de superintendente adjunto do departamento. Além de secretário de Estado do Meio Ambiente, foi nomeado em 1994 presidente do Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas). De 1995 a 2000 e em 2005 foi secretário Municipal de Indústria, Comércio, Cultura, Turismo e Meio Ambiente do município de Presidente Figueiredo.

Também atuou como presidente da Aprogam (Associação Profissional dos Geólogos do Amazonas) entre 1987 a 2005. O geólogo também foi autor de diversos trabalhos científicos e livros como Produz Amazonas. Fred Cruz era casado e deixa dois filhos. A família ainda está decidindo onde será o velório. “Estamos todos muito abalados e queremos buscar o mínimo de forças para tomar essas providências”, declarou Michel.

Amigos e instituições lamentam mortes

Por meio de nota o DNPM lamentou a morte de Fred Cruz que era servidor há 37 anos do departamento. O texto informa que o servidor estava viajando em missão oficial aos municípios de Novo Aripuanã e Manicoré e retornaria na quinta-feira (9). “A missão era a de vistoriar a área de um suposto garimpo ilegal nos municípios, objetivando responder demanda do Ministério Público Federal”, diz o comunicado.

O superintendente regional do Serviço Geológico do Brasil, da CPRM (Companhia de Recursos e Produção Mineral), Marco Antônio Oliveira, lamentou a fatalidade. “Está sendo um momento muito difícil para toda a categoria, porque ele falava por todos nós. Era um grande defensor do setor mineral como atividade para a Amazônia e é uma perda muito grande no seu auge intelectual”, comenta. Marco Antônio ainda conta que conhecia o geólogo há mais de 20 anos e que chegaram a trabalhar juntos em vários momentos.

O Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) divulgou nota oficial para lamentar ‘a partida repentina e trágica’ em acidente aéreo, do geólogo Fred Cruz. No comunicado, o órgão reforçou que Cruz prestou relevantes serviços à sociedade. Em nome do Ipaam, a diretora-presidente Ana Eunice Aleixo deixa as condolências aos familiares e amigos de Fred Cruz e registra sua atuação como defensor do desenvolvimento sustentável no Amazonas, diz a nota.

O vereador David Reis (PV) lamentou a morte do geólogo Fred Cruz e demais pessoas vitimadas no acidente aéreo. Em nota, o parlamentar disse que Fred, era amigo pessoal e tio de sua assessora de gabinete Maria Amélia Guimarães. “É uma notícia triste e pega a todos nós de surpresa, há poucos dias da tragédia na Colômbia. Nossos sentimentos à família de Maria Amélia e do professor Paulo Gravata (pai de Maria e cunhado de Fred Cruz), e que Deus possa confortá-los nesse momento” disse em comunicado.

O governo do Amazonas também lamentou a morte das seis vítimas do acidente de avião, entre elas, o ex-presidente do Ipaam, Frederico Cruz, além do comandante João Jerônimo da Silva Neto, Ana Alice Gomes, de 4 anos, Henrique Tiez Neto, Ruan Lemos e Jefferson Luiz Janzen. No comunicado, o órgão informou que durante a inauguração da Escola Estadual de Tempo Integral Maria Rodrigues Tapajós, ainda nesta quarta-feira, o governador José Melo pediu um minuto de silêncio em respeito às vítimas do acidente, especialmente de Fred Cruz, com quem trabalhou no Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas).

Sobre o acidente aéreo

Seis pessoas morreram na queda da aeronave de pequeno porte na manhã desta quarta-feira (7) em Manaus. O avião modelo Embraer 720, havia decolado do Aeroclube do Amazonas, por volta das 7h45 com destino a Novo Aripuanã, localizado a 227 quilômetros da capital e alguns minutos depois caiu em uma área de mata no Parque Dez, na zona Centro-Sul da cidade.
As vítimas do acidente foram identificadas como João Jerônimo da Silva Neto, que era comandante da aeronave, Ana Alice Gomes, de apenas 4 anos, João Frederico Guimarães Cruz, Henrique Tiez Neto, Ruan Lemos e Jefferson Juarez, que chegou a ser resgatado com vida, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. Segundo o boletim divulgado pelo hospital, a vítima de quase 40 anos teve 99% do corpo queimado no acidente aéreo.

À imprensa, o representante do dono da aeronave, Antônio Macedo, afirmou que a aeronave estava com a manutenção em dia e estava suficientemente abastecida antes de decolar. Segundo ele, o avião tinha capacidade para seis pessoas e realizaria um voo particular de 1h em linha reta. Macedo disse ainda que o avião é do empresário Daniel Dias Moreno e que o mesmo está prestando o apoio necessário aos familiares das vítimas entrando em contato com funerária e com o IML.

De acordo com informações, o avião caiu me pleno voo e ao se chocar com o chão acabou explodindo. A área foi isolada e a equipe do Corpo de Bombeiros controlou os focos de incêndio. Outras equipes como o serviço do SAMU (Atendimento Móvel de Urgência), Polícia Militar e Civil, além de Agentes do Manaustrans (Instituto Municipal de Engenharia no Trânsito) também estiveram no local para ajudar e facilitar o resgate dos corpos. O 7° Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) da Aeronáutica vai investigar as causas do acidente.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email