Ação solidária tem efeito dominó entre a população no auge da pandemia

A solidariedade de profissionais liberais, sejam advogados, psicólogos, músicos, além de grupos de amigos dispostos a ajudar sem custo diante da crise de saúde que o estado vive, tem mostrado que a sociedade quando se une pode sem dúvida mudar ou minimizar o cenário de caos nos últimos dias, diante do aumento de casos de contaminação da Covid-19 e consequentemente a falta de oxigênio e insumos nas redes hospitalares.

O exemplo disso é o nutricionista Mauricio Rafael, que sensibilizado com a falta de produtos hospitalares no Hospital Tropical de Manaus, reuniu amigos de vários grupos de whatsapp, que contribuíram e compraram o estoque de uma loja de instrumental técnico, totalizando 10 reanimadores manuais, além 50 máscaras VNI com reservatório. 

“É muito pouco, é uma faísca só de ajuda, mas que mobilize as pessoas a fazerem. Porque tem muita gente que tem uma condição financeira um pouco melhor, e que neste momento não adianta dizer que isso é responsabilidade do governo municipal, federal, estadual, apontar dedo, porque não vai salvar vidas né, então o que a gente quer nesse momento é salvar vidas”, diz Maurício.

Doação foi feita na manhã de sexta-feira na Fundação de Medicina Tropical de Manaus

Efeitos psicológicos

A psicóloga Larissa Garcêz viu que precisava fazer algo diante do números de pessoas com danos psicológicos por conta da pandemia, “Eu fico aqui com o sentimento de que eu preciso fazer alguma coisa e eu simplesmente não tenho como olhar tudo que está acontecendo e não fazer nada. A forma que está a meu alcance para ajudar é oferecendo escuta, acolhimento para tentar de alguma forma diminuir o impacto psicológico que a pandemia está causando”, diz a psicóloga Larissa Garcêz, natural de São Luiz, no Maranhão, que resolveu ajudar pessoas que estão sendo afetadas psicologicamente pela pandemia. 

Com família em Manaus, Larissa acompanha as notícias da cidade através de diversas mídias, e pela irmã que mora na capital Amazonense e que relata diariamente os acontecimentos na cidade. 

A psicóloga observou durante os atendimentos que as pessoas têm apresentado outros padrões de comportamento. “São medo de sair de casa, medo de perder alguém, ansiedade. Essas foram a maior demanda, que aumentou nesses últimos tempos”. 

Larissa conta que os profissionais de saúde têm sido bastante afetados pelo estresse gerado devido ao alto índice de pressão que vivenciam diariamente. “Muitos profissionais da saúde desenvolveram TEPT (Transtorno Pós Traumático). Todo esse cenário caótico é um trauma muito grande para essas pessoas que estão na linha de frente”. Ressalta. 

A psicóloga acredita que mesmo após a vacina e consequente controle do vírus, os danos psicológicos ainda irão existir. Larissa Garcêz faz o atendimento sem custo através do google meet, mas para quem não tem habilidade com a plataforma, atende por chamada de vídeo através do WhatsApp (98) 98354-7101

Auxílio Jurídico

Durante a pandemia têm surgido demandas envolvendo direitos do cidadão frente ao descaso de serviços, sejam públicos ou privados. Diante disto, a advogada e militante Luciana Avelar colocou seu escritório jurídico à disposição para qualquer pessoa que necessite de ajuda e esteja enfrentando dificuldades de atendimentos em hospitais na cidade de Manaus.

O atendimento é através do messenger no próprio perfil do facebook da advogada Luciana Avelar, sem qualquer custo. “O importante é garantir que essas pessoas tenham o atendimento, inclusive, orientações para possíveis indenizações”. 

Lanches para a linha de frente

Os artistas Paulo Shirokuma e Ed Slayers decidiram unir os músicos do rock de Manaus e assim conseguir doações para a produção e distribuição de lanches para os profissionais de saúde dos hospitais em Manaus que estão na linha de frente do combate à pandemia. 

A ideia surgiu após tomar conhecimento da situação de enfermeiros e profissionais quanto à alimentação nas unidades. “Fiquei sabendo que a pessoa, o funcionário, o enfermeiro, vai trabalhar e tem direito a só o almoço, não está tendo o lanche, então foi isso que comoveu a gente”. Disse Paulo.

A intenção é levar 400 lanches que começam a ser entregues a partir deste sábado, (16), às 15h00 no Hospital Platão Araújo, na zona leste, e no SPA Danilo Corrêa, na zona norte da cidade. A atitude dos músicos é que a ação se estenda enquanto o período crítico da pandemia durar. 

“Se tudo der certo e vai dar certo, vamos tirar um sábado pra gente se reunir para tentar levar pelo menos esperança, força pra galera que está na linha de frente”, afirmou Paulo. 

Famosos em solidariedade

O pico da falta de oxigênio no estado do Amazonas na quinta-feira, (14), chamou atenção de celebridades brasileiras, que se mobilizaram para ajudar Manaus. A corrente iniciou com o humorista e youtuber Whindersson Nunes que através de suas redes sociais criou uma mobilização denominada SOS AM. Na mesma postagem, Whindersson chamou outros amigos a doarem também, como o humorista Tirulipa, Tatá Werneck, Simone da dupla Simone e Simaria, o jogador Richarlisson se prontificaram a ajudar.

A mobilização chegou também ao escritor Paulo Coelho, Wesley Safadão, Sabrina Sato, Bruno Gagliasso que avisam em suas contas nas redes sociais que ajudariam a cidade de Manaus com oxigênio. 

Até a última atualização, a campanha já havia arrecadado R$ 340.617,80. Parte do que foi arrecadado pelo influencer começou a ser entregue na manhã de sábado. Foram 60 concentradores de oxigênio que custaram R$ 318 mil.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email