Ação amplia competitividade no RS

Pioneiro na produção de morangos no Rio Grande do Sul, o município de Bom Princípio, distante 70 quilômetros de Porto Alegre, está implantando uma ação inédita na região, cujo objetivo é garantir a qualidade da fruta por meio da capacitação do produtor rural.
O lançamento oficial do Programa Bom Morango aconteceu ontem, no estande Casa da Estância, no Pavilhão Internacional, do Sebrae/RS, na 30ª Expointer (Exposição Internacional de Animais e Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários, em Esteio.
A ação é desenvolvida com apoio do Sebrae/RS, por meio do programa ‘Juntos para Competir’, da Prefeitura Municipal de Bom Princípio, da Associação Rio-Grandense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS-Ascar), do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e da Cooperativa Piá.
O objetivo geral do Programa Bom Morango é garantir a produção de uma fruta saudável, gerando maior competitividade no mercado para o produto do município. O programa é constituído por ações de capacitação técnica e agronômica, além de gestão empreendedora.
A ação prevê ainda a entrega de selo de qualidade para os produtores que atingirem as metas estabelecidas. As atividades objetivam o controle de resíduos de agrotóxicos nos morangos, garantindo, dessa forma, a qualidade e a sanidade da fruta.
As capacitações oferecidas aos produtores são promovidas pelo ‘Juntos para Competir’, impulsionado pelo Sebrae/RS, em parceria com a Farsul (Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul) e o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).
O programa busca organizar e aprimorar as cadeias produtivas do agronegócio no Estado, como a bovinocultura de corte, a suinocultura, a ovinocaprinocultura, a fruticultura, a floricultura, a vitivinicultura, a apicultura e a cultura da cana-de-açúcar e derivados.
A prefeita de Bom Princípio, Ilda Maria Wiltgen Ost, disse: “Queremos ganhar, cada vez mais, credibilidade com os consumidores do nosso produto. Não queremos apenas ser conhecidos como a terra do morango, mas sim como a terra do morango saboroso e saudável”, afirmou. Segundo a prefeita, o programa não só será um marco para a produção do morango livre do excesso de agrotóxicos, mas também servirá de modelo para outras culturas.
Segundo dados do último censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2000, a cidade possuía 31 hectares de produção de morango, contabilizando uma produção de 1.240 toneladas por ano, o equivalente a 40 toneladas por hectare. A renda total da atividade, exercida por 163 famílias, é de R$ 3,25 milhões, representando 2,69% do PIB (Produto Interno Bruto).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email