10 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Abono salarial serve para aliviar contas dos trabalhadores endividados

O anúncio do calendário de pagamento do PIS/Pasep para este ano e para 2020, divulgado na terça-feira (9), pelo governo federal, surgiu como grande alento e alternativa para trabalhadores que se encontram endividados. Segundo especialistas, o pagamento do abono salarial é uma grande oportunidade para aqueles que querem equilibrar suas contas e sair do vermelho. Conforme Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador), órgão vinculado ao ministério da Economia, os benefícios já estão previstos para serem pagos no fim de julho.

“Se o brasileiro que receber o PIS/PASEP estiver endividado, a melhor alternativa é pegar o recurso e saldar logo suas dívidas, principalmente se forem dívidas com cartão de crédito e banco, haja vista os altos juros existentes”, alertou o economista Farid de Mendonça Júnior.

Segundo um levantamento realizado pela Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor) e CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), pelo sexto sexto mês consecutivo, o percentual de famílias endividadas aumentou no país. Em junho, o endividamento subiu 0,6 ponto percentual em relação a maio.  O número representa o maior registro de endividamento mensal desde julho de 2013. As famílias que declararam à pesquisa não ter condições de pagar suas dívidas ficou em 9,5%, quase o mesmo índice de 2018 onde ficou em 9,4%.

Para o educador financeiro André Torbey, como toda renda extra, é preciso ter cuidado para que o abono salarial não seja desperdiçado, e destacou que na medida do possível, poupar uma parte desse valor seria uma excelente opção para se preparar para gastos no futuro.

“O importante é verificar a possibilidade de abater ou, ainda, renegociar os pagamentos em atraso, ou até poupar uma parte, pensando no futuro. Para quem for investir esse valor e tem um perfil mais conservador, o tesouro selic 2025 pode ser uma boa alternativa e dá para fazer aplicações a partir de R$101,95. A parte principal é ter um objetivo claro para o uso do dinheiro e evitar desperdícios”, disse.

Segundo a professora de uma rede particular Rutiene Melo, o recurso do abono salarial do PIS surgi como uma grande oportunidade para equilibrar as finanças da casa e pagar algumas dívidas em atraso. “Sempre aproveito esse abono para investir em algo rentável no futuro, mas, infelizmente desta vez a necessidade de pagar conta foi maior. Na situação que o país vive é mais sensato priorizar a dívida, afinal, nunca se sabe do dia de amanhã”, disse.

Outro trabalhador que planeja sair do vermelho, é o agente de segurança Cristiano Moraes. Há um ano, ele vem trabalhando duro em várias horas extras e plantões nos finais de semana para quitar a prestação atrasado do financiamento do carro e de seu IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) vencido em maio. Para ele, o dinheiro extra será um alívio para voltar ao trilho do equilíbrio financeiro.

“Esse dinheiro vai ajudar muito. A pior coisa é dever o banco e andar no carro com a documentação atrasada. Com as horas extras trabalhadas em junho e mais o dinheiro do abono que vou receber no início de agosto já vai dar pagar as prestações atrasadas do financiamento do carro junto com o IPVA”, disse.

Para o economista Farid, para aqueles que não estão endividados, a dica é usar o dinheiro para realizar investimentos que podem trazer retornos a médio e longo prazo. “Se por acaso o cidadão não tiver dívida e quiser aplicar o dinheiro, sugiro investir em títulos do tesouro direto, uma opção melhor que a poupança.

Caso o cidadão/investidor esteja numa situação mais folgada e estiver apto a correr um pouco mais de risco, poderá optar em investir em renda variável, como é o caso de ações e fundos de ações”, frisou.

Saque do PIS/PASEP

De acordo com o Codefat, têm direito ao abono salarial trabalhadores que atuaram no mercado com carteira assinada por ao menos 30 dias em 2018, recebendo, em média, até dois salários mínimos. Além disso, é preciso estar inscrito no PIS/Pasep e ter os dados atualizados pelo empregador no sistema. 

Os pagamentos podem variar de R$ 84 a R$998 reais, de acordo com os dias trabalhados durante o ano de referência. Para quem trabalhou com carteira assinada, o dinheiro pode ser sacado nas agências da CAIXA ou casas lotéricas, utilizando o Cartão Cidadão com a senha cadastrada. Já os servidores públicos podem sacar o dinheiro nas agências do Banco do Brasil.

O PIS é para aqueles que atuam na iniciativa privada, e tem o calendário para recebimento baseado no mês de nascimento do trabalhador que atua na iniciativa privada. Já o PASEP é para o servidor público e tem como critério o número final da inscrição.

Pesquisa

Segundo a pesquisa Peic e CNC, 32,1% das famílias entrevistadas ficam endividadas por mais de um ano. Enquanto 24,7% acumulam dívidas por até três meses. Em junho de 2019, 21,1% delas afirmaram ter mais da metade de sua renda mensal comprometida para pagamento de dívidas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email