A vida da ética e dos valores do espírito…

Vivemos uma vida quase artificial, em que, aos poucos, a simplicidade e os valores reais vão sendo substituídos por coisas artificiais e passageiras. Em vez de nossas conversas com familiares e amigos, agora passamos horas em frente à televisão ou ao computador. Ficamos cegos para os que vivem ao nosso lado. Deixamos de ouvir o mundo, para nos isolar em fones de ouvido. E acabamos por nos tornar um pouco surdos para a realidade. E assim, prossegue nossa vida, cada vez mais mecanizada, cada vez mais dirigida pelos produtos que compramos sem parar, estimulados pelos anúncios e propagandas. Interessante lembrar, que a publicidade nos faz acreditar que precisamos ter as coisas.

Ela se infiltra em nós, comandando a vontade. Vale-se de conceitos importantes para o ser humano: aceitação, alegria, bem-estar. Por outro lado, a força da propaganda também nos atinge ao informar que, se não temos determinadas coisas ou serviços, somos infelizes ou excluídos de grupos sociais. Mas o problema não está nos publicitários ou nos anunciantes; eles fazem o trabalho deles. O problema está em nós, que acreditamos e aceitamos, como verdades, os comerciais. É um caso de sintonia. Aceitamos passivamente a mensagem da publicidade, e vamos além, nós nos identificamos com ela. Passamos a acreditar que seremos felizes, somente se tivermos objetos caros, ou de marcas famosas. Aos poucos, nos tornamos escravos da necessidade de comprar.

Para libertar-se dessa escravidão, temos a força de vontade, a capacidade de resistir e o livre-arbítrio. Por isso, os grandes Mestres codificadores, consolidadores e expansionistas do Racionalismo Cristão advertiram aos seres humanos que, combatessem os desejos desenfreados. Ensinaram-nos que se pusermos nosso foco em coisas, pessoas ou situações que desejamos, a isso que estaremos vinculados, mesmo após a morte do corpo. Ao contrário, se nossa atenção estiver voltada para a vivência da ética e dos valores do espírito, certamente superaremos os desejos que nos aprisionam, caminharemos em direção ao crescimento espiritual e aprimoramento de nossas virtudes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email