A philosophia em tempos de Covid-19

Muitos me perguntam como a Philosophia pode contribuir para a edificação de uma sociedade mais humana pós-pandemia, sobretudo diante das divergências, entre os próprios filósofos, quanto às visões de mundo e formas de ação concreta frente à realidade.

Primeiramente, é verdade que não há unanimidade sobre muitos assuntos em Philosophia. Entretanto, há muitos filósofos que concordam que o essencial na Philosophia é a diversidade. Por isso, o pensamento pluralista desempenha um papel importante na Philosophia. 

Em segundo lugar, o respeito aos valores do outro, na forma de pensar, de crer, viver e ser; a convivência com o diferente, com o contraditório; fazem da Philosophia uma das mais encantadoras formas de conhecimento humano. Além, é claro, de nos conectar com o momento presente.

Dessa forma, existir em tempos de pandemia, onde o coronavírus parece afetar a todos, é muito mais do que cuidar da própria vida, é ter coragem de suportar as dores do planeta inteiro. Este imperativo revela a original contribuição da Philosophia para a sociedade atual: ter compaixão com os humildes, os pobres, os necessitados.

Para amar o próximo é preciso ter coragem e não euforia, atitude que temos visto em muitos líderes religiosos e políticos, nos últimos tempos, que pensam apenas nos próprios interesses, para agradar à plateia, os fiéis, que são em sua maioria os seus próprios eleitores. Atitudes temerárias, impulsivas e levianas, só fazem aumentar a probabilidade de contágio e a divisão política.

Seguindo à própria natureza, e os termos mesmos do problema que se agita entre nós, a pandemia de coronavírus, assume um caráter original, e de certo modo, paradoxal. Diante desse problema planetário, como definir uma pessoa corajosa? Que categoria profissional tem se destacado nesse campo?

Coragem é a predisposição em buscar saídas para crises e situações de estagnação e procrastinação. O que define uma pessoa corajosa é o respeito que ela tem pelo outro, e dessa qualidade surgem outras duas: admiração e confiança. Somente quem confia no outro é corajoso.

Ora, no nível dessa questão ainda preliminar, a discussão sobre que categoria profissional têm se destacado no combate ao coronavírus, não poderíamos esquecer, sobre pena de nos contradizermos no amor ao próximo, deixar de destacar o trabalho dos profissionais da área de saúde.

Socorristas, motoristas de ambulância, agentes de portaria, maqueiros, recepcionistas, técnicos, enfermeiros, médicos, pacientes, todos, estão desempenhando uma fusão vital, infelizmente, muitas vezes, de forma desorganizada e não consciente. 

Será que esses profissionais estão recebendo o devido respeito e admiração que eles merecem? Impõe-se, portanto, como dever moral, de todos nós, e principalmente dos governantes, que detém o poder econômico, destacar o papel desses profissionais. 

Do mesmo modo, se observarmos a coragem de muitos pensadores, filósofos, professores, pais e mães de famílias, que não se curvam diante do poder dominante, se caracterizam, também, por uma disponibilidade, uma inclinação profissional, para uma ação eficaz, e de puro amor ao próximo.

Por isso e com isso, de humano para humano, da religião à ciência, da dor à alegria, da tristeza à fé, da angústia à esperança… a Philosophia vem contribuindo com a edificação de uma sociedade mais humana e continuará lutando por um mundo mais justo e igual para todos!

*Luís Lemos é filósofo, professor universitário e palestrante

Fonte: Luís Lemos

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email