9 de maio de 2021

Toda e qualquer palavra ainda seria pouco para destacar a importância que a mulher tem na estrutura da sociedade e da própria existência humana. A imprescindibilidade da mulher para a comunidade em geral e para o equilíbrio nas relações sociais é indiscutível. A mulher é um ser-humano dotado de um toque especial em sua essência. Que consegue fazer cada atividade do seu dia-a-dia com uma dedicação, carinho e zelo de forma peculiar. Em seus mais diversos papéis, seja como esposa, mãe, irmã, avó, trabalhadora ou dona de casa; ela faz toda a diferença. Não é nenhum clichê dizer que apenas 1 dia jamais será suficiente para homenagear quem têm um significado ímpar em nossas vidas.

Ao mesmo tempo, é de fundamental simbolismo termos este dia (8 de março) para reflexão e homenagens, de forma a jamais esquecermos o valor imensurável destas joias preciosas em nossas vidas, criadas por DEUS com uma missão fundamental dentro do núcleo familiar; junto ao esposo, filhos e a todos ao seu redor. Ao longo da história as mulheres enfrentaram e enfrentam muitas batalhas, nas mais diversas áreas, mas com uma força interna única. No decorrer do tempo foram muitas as conquistas alcançadas. A mulher tem feito a diferença nos mais diversos segmentos em que está inserida. Seja como executiva, médica, advogada, professora, cientista, política, atleta…enfim, são múltiplas as formas de contribuição de maneira decisiva para a coletividade e para a própria realização pessoal da mulher enquanto cidadã plena que é.

Apesar de indiscutíveis avanços que já ocorreram na questão dos direitos, ainda há um longo caminho a ser percorrido. É preciso vencer a discriminação, a violência e a desvalorização da figura feminina. Na questão profissional, a paridade de salários com os homens que exercem funções equivalentes no mercado de trabalho é uma batalha antiga em nosso Brasil. Em outra ponta, existe ainda a violência doméstica sofrida por muitas mulheres, das mais diversas formas; um fato inadmissível. Iniciativas legais como a ‘Lei Maria da Penha’ e a Lei que configura o crime de feminicídio no Brasil são de incontestável relevância, mas por si só não são suficientes se não forem acompanhadas da devida aplicabilidade e fiscalização, para que as vítimas tenham a proteção e o apoio necessários.

Todavia, temos visto também nos últimos anos, em outro contexto, a ‘coisificação’ da mulher disfarçada de ‘liberdade feminina’. Não se pode confundir liberdade com banalização, vulgarização e exposição da imagem e do corpo mulher da maneira como tem acontecido de forma tão explícita e recorrente. O mais grave disso é o fato de que, muitas vezes, este tipo de acontecimento tem a anuência e defesa por parte de alguns grupos que dizem pleitear em prol do direito feminino, mas que acabam depondo contra o próprio discurso ao não se oporem a atitudes tão degradantes à dignidade humana.

Ao mesmo tempo em que é real a falta de equidade entre homens e mulheres na sociedade em diversos aspectos e da iminente necessidade de medidas concretas com vistas a resolver esta desconformidade; também é fato que a mulher não precisa galgar nenhuma posição apenas pelo fato de ser mulher. Ela tem total capacidade de estar em qualquer área profissional pela sua competência e não por ser do sexo feminino.

Faz-se mais do que necessário o estabelecimento de políticas públicas sérias, de Estado e não apenas de governos, que sejam profícuas e não demagógicas ou simplesmente para fazer o jogo do “politicamente correto”. Chega de blá blá blá. As ações realizadas até agora não foram suficientes para resolver estas demandas. É preciso se investir na promoção de oportunidades plenas a esta parcela tão importante da sociedade. E isso não é nenhum favor dos governantes, mas sim o dever. A bandeira correta deve ser a da defesa e implementação das garantias a todos os cidadãos, independente do gênero, e isso é obrigação dos agentes públicos e autoridades constituídas.

Para finalizar, quero glorificar a DEUS por ter nos presenteado com a existência de seres tão especiais e únicos em todos os sentidos. Quero fazer uma homenagem especial à minha amada mãe, Liliam Said Teixeira: uma Mulher Valorosa, Guerreira, Íntegra Mãe, Esposa, Filha e Irmã Exímia; uma profissional Dedicada e Competente e Exemplo de tudo de melhor. E na pessoa dela, estendo esta homenagem a todas as demais mulheres, que têm em suas individualidades o seu incalculável valor para todos nós. Termino mencionado um trecho da Bíblia Sagrada, que está em Provérbios capítulo 31, versículo 10, que diz assim: “Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas joias. ” (Provérbios 31:10).

FELIZ DIA DA MULHER A TODAS!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email