A moda que vem da natureza

A união da moda com o conceito de sustentabilidade nunca fez tanto sentido quanto na atualidade. Bolsas, sapatos e outros acessórios femininos feitos com couro de peixe têm chamado à atenção nas passarelas mundo a fora. Os produtos confeccionados com a pele destes animais foram expostos nessa quarta-feira (05) no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília.
O evento é organizado pelo MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura) com o apoio da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) e tem o objetivo de impulsionar o desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura, apresentando-a ao mundo da moda.
“A intenção é incentivar o cultivo e mostrar que o pescado pode ser aproveitado desde a carne até as vísceras, utilizadas na indústria do biodiesel. A cabeça e a espinha viram farinha para ração animal, e a pele e as escamas são usadas no artesanato e no vestuário”, disse a secretária de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura do MPA, Maria Fernanda Nince Ferreira.
A programação especial contou com a participação de expositores do Amazonas, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além da Associação de Artesãos de Couro de Tilápia, em Alagoas. Os produtos que foram apresentados são confeccionados da pele de várias espécies de peixes como pacu, pirarucu, tambaqui e tilápia. “As peças tem uma ótima durabilidade. O couro do peixe de pirarucu, por exemplo, é três vezes mais resistente que o couro bovino” ressaltou o expositor Rodrigo da Silva Nunes.
Segundo Nunes, esse é o primeiro passo de uma longa caminhada. “O consumidor brasileiro precisa saber que o peixe permite a fabricação de produtos sofisticados que fazem mais sucesso no exterior do que no país”, critica. Suas peças são feitas a partir do couro do pirarucu, da pescada e do aruanã.
Atualmente, Nunes conta que comercializa seus produtos no Amazonas, em especial na capital. Com a atividade, ele aumenta a renda da família – que também pratica a agricultura e a apicultura. “Precisamos de abertura de mercado para podermos investir no incremento da nossa produção, e eventos como esse é que nos ajudam”, aposta o artesão, que já expôs em outras capitais brasileiras como Florianópolis (SC) e Salvador (BA).
“A tilápia é considerada um peixe exótico e tem um couro que, além de bonito, apresenta três vezes a resistência do couro do boi, se comparado na mesma espessura”, observa o engenheiro de pesca José Jacobina, chefe do escritório de apoio técnico da Codevasf.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email