A incompetente gozação de Marta Suplicy

A recente pérola dita pela “elegante” ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), aconselhando os brasileiros prejudicados pela crise do setor aéreo a “Relaxar e Gozar”, pode ser interpretada de uma forma bem diferente. É mais provável que o verbo “gozar” tenha sido conjugado pela ministra com o sentido de gozação e não de algo prazeroso, se é que se pode sentir prazer diante de uma situação tão grave.
A ministra, ciosa de sua função e da imagem pública que possui, tentou remendar alegando que não quis dizer o que disse, ou o que disse não era bem o que havia dito, ou ainda que não devia ter dito aquilo que já tinha sido dito (ops!) e que soou como um tapa no rosto de pessoas honestas que pagam seus impostos e sofrem com essa vergonha nos aeroportos do país.
De qualquer forma, a ilustre e fina representante de nossa elite cultural e empresarial paulista, em seu deslize (para não dizer gafe), deixou clara a falta de competência e de seriedade com que os problemas estão sendo enfrentados no Brasil. A indicação de militantes do PT para cargos de confiança e outros cargos de evidente importância dentro da estrutura de governo, gera esse despreparo pleno em se resolver questões de forma coerente e apropriada. Não significa que o simples fato de ser militante do PT transforme alguém em um ser incompetente. O que é preciso verificar, é se o indicado ao cargo público tem capacidade para exercê-lo. Não sei por que, mas me lembrei da Marta ao escrever essa última frase.
Em relação à recente tragédia com o avião da TAM, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que tirou quase duas dezenas de vidas, a culpa é da pista? A culpa é da Infraero que liberou o uso da pista sem as ranhuras necessárias ao bom escoamento da água das chuvas? A culpa é do reverso ou do piloto que não está aqui para se defender? Absurdo! O fato claro e inequívoco (e contra fatos não há argumentos), é que nosso governo federal não conseguiu entender que não se pode colocar amadores em postos de comandos estratégicos, e que não se pode tratar um problema dessa gravidade como se fosse um exercício de relaxamento e gozo!
A perda de tantas vidas nos impressiona pela total desinformação, desorganização e descaso das autoridades líderes desse país.
Marta Suplicy ao lado de seu marido argentino deveria, relaxada, pensar sobre o mal que causou a um país com sua ridícula e ignóbil declaração. O fato é que essa senhora refletia a forma de pensar dos nossos dirigentes. Se esquece a nobre ministra que a absoluta maioria dos brasileiros que viaja durante a semana, é para trabalho ou para encontrar suas famílias, e não para levar dólares na cueca ou malas com dinheiro.
A maioria dos brasileiros viaja tentando achar soluções para suas empresas, garantir seus empregos, gerar riqueza e impostos, quem sabe para que os canalhas em Brasília desviem dinheiro público através de superfaturamentos em obras públicas, contratações de publicitários carecas (ou de cavanhaque), e eventualmente, utilizem recursos não contabilizados em suas campanhas políticas.
É assombroso lembrar da dança da deputada petista, na Câmara dos Deputados, comemorando a absolvição de um de seus colegas “mensaleiros”. Agora quero mandar um recadinho para o nosso Presidente fantoche: Lula, você foi vaiado porque se esqueceu de suas promessas e traiu nossos sonhos! Não adianta bater na mesa.

PAULO HUMBERTO BIZERRA é advogado, especialista em Direito Tributário Internacional. É membro da Academia Brasileira de Direito Tributário e diretor do escritório Bizerra & Advogados Associados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email