Quem deseja ter uma vida feliz precisa responder para si mesmo as seguintes perguntas: O que eu estou fazendo da minha vida? O que é realmente importante para mim? O que eu amo mais do que tudo? Quais são as minhas prioridades? O que eu estou fazendo para ser feliz? 

De alguma maneira, essas perguntas estão relacionadas diretamente com o nosso modo de ser e viver no mundo, e dependendo das respostas que damos para elas, a nossa vida pode seguir duas direções distintas: a felicidade ou o fracasso.

O fracasso está relacionado diretamente com as nossas perdas, gerando daí as nossas frustações. Isso significa que fracassamos todas às vezes que não assumimos o nosso papel na história, quando não vivemos de acordo com aquilo que amamos, com os nossos valores.

Os valores são à base de nossa educação, de nossas crenças. Dessa forma, pode-se dizer, de forma simples, que valor é tudo aquilo que é importante para o sujeito. Quando agirmos de acordo com os nossos valores, somos livres, responsáveis e exaltamos à dignidade da pessoa humana. 

Por isso, os valores mais importantes para os seres humanos, principalmente para aqueles que são nobres, são: a dignidade, a empatia, o amor, a justiça, a honestidade, o respeito, a liberdade, a responsabilidade, a bondade, a confiança, a fraternidade, a lealdade, a amizade, a honra…

Dessa forma, sem os valores seriamos bárbaros, pessoas desalmadas, longe da civilidade e da convivência pacífica e amorosa juntos daqueles que amamos. Assim, os valores são tão importantes em nossa vida que sem eles não seríamos o que somos: homens e mulheres sociáveis, que buscamos a paz, a comunhão, o respeito e a felicidade.

Outrossim, os valores contribuem para a nossa felicidade, e a nossa felicidade depende da prática dos nossos valores. Portanto, o ápice de nosso sucesso, de nossa realização pessoal, profissional, intelectual ou espiritual dependem da prática dos nossos valores. Ou seja, quanto mais justos formos em nossas ações, mas próximos da felicidade estamos.

O campo ético também é decisivo na nossa forma de viver, na nossa realização pessoal e profissional, no nosso sucesso, na nossa felicidade. Quem é ético tem mais chance de ser feliz do quer quem não o é. 

A felicidade é, portanto, aquilo que, por natureza, todos os seres humanos desejam. E o caminho para alcançar tal sentimento é o amor. Somente quem ama para além de si mesmo pode ser feliz. 

Dessa forma, não existe vida feliz sem amor ao próximo. Quem é solidário chega mais perto de Deus do quem não é, do que quem não consegue juntar oração e ação. O amor ao próximo define à qualidade de nossa oração. Assim, quanto mais solidários formos mais crestes seremos. 

O filósofo brasileiro Mário Sérgio Cortella em seu livro “Por que fazemos o que fazemos?” afirma que o mundo atual precisa de valores e propósitos descentes: “Bons propósitos são aqueles que elevam o indivíduo e a comunidade na qual ele está inserido”. 

Isso mesmo, quanto mais propósitos e valores descentes estivermos, mas felizes e amorosos seremos. Quanto mais pensamentos altruístas tivermos, empatia, respeito às opiniões diferentes, solidariedade, amor ao próximo, mas perto de Deus estaremos.   

Por fim, e não menos importante, precisamos encontrar o verdadeiro sentido do amor, sair de nossos castelos, deixar de lado o egoísmo e ir ao encontro dos mais necessitados, daqueles que realmente precisam de nossa ajuda, os pobres, os excluídos, os marginalizados.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email