80% de novos lojistas vendem em marketplace

Em cenários econômicos adversos, como momentos de recessão e crise, o brasileiro é um dos povos que mais tende a abrir novos negócios. Em 2019, por exemplo, o país alcançou uma taxa de 23,3% de empreendimentos iniciais. Isso significa que, dentre todas as empresas nacionais, aproximadamente um quarto delas possui menos de 3,5 anos de existência.

Estima-se, no entanto, que esse número tenha atingido o seu recorde histórico em 2020, potencializado pelo contexto pandêmico e seus impactos sociais. Em consonância com esses valores, o Brasil está também entre os líderes quando falamos em quantidade de empreendedores. Quase 40% da população adulta faz parte dessa fatia de atuação profissional, representando 53,4 milhões de cidadãos.

Com a mudança de comportamento e perfil de compra dos consumidores, muitas dessas empresas migraram a sua operação para o digital ou adicionaram o canal de venda online à sua estratégia de negócio. Segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), 150 mil novas lojas virtuais foram abertas entre os meses de março e julho de 2020.

Dentre esses novos empreendimentos, 80% deles optaram por vender em grandes plataformas de Marketplace, tais como Amazon, Magazine Luiza e Mercado Livre. Os resultados desses gigantes da internet são tão notáveis que somente esse último player ultrapassou o valor de mercado do maior banco privado brasileiro.

Os dados não deixam margem para dúvida: as plataformas de marketplace são uma peça-chave para os lojistas que vendem online. Elas podem maximizar o faturamento do seu negócio, visto que, somente no ano passado, este mercado movimentou mais de R$200 bilhões, com perspectiva de 20% de crescimento para 2021.

Contudo, para obter também resultados tão expressivos, é preciso se atentar aos detalhes e funcionamento de cada canal de venda digital, uma vez que cada um possui suas particularidades e se comportam de formas diferentes.

Por isso, para ter sucesso no online, o lojista deve saber dominar a estratégia de venda em qualquer plataforma, seja ela sua loja virtual própria ou de terceiros. Essa multiplicidade de canais, no entanto, aumenta consideravelmente a complexidade da operação, principalmente em questões como logística e finanças.

Dessa forma, para ter assertividade nas vendas na internet, é preciso contar com bases sólidas que sejam capazes de dar o suporte necessário ao crescimento e ganho de escala comercial do seu negócio.

Para um e-commerce próprio, é imprescindível buscar uma plataforma que entregue soluções personalizadas para o seu nicho de mercado e estruture a sua loja virtual de forma a melhorar a experiência do cliente e aumentar a sua Taxa de Conversão.

A Bis2Bis E-commerce, líder em desenvolvimento de lojas virtuais B2B, B2C e B2E, faz uma análise completa do seu negócio para entregar as melhores soluções e todas as condições necessárias para a sua operação digital crescer e escalar.

Já para a atuação em plataformas de marketplace, é essencial considerar a contratação de um Hub de Integração que centraliza os dados da sua operação digital e permite a personalização de cadastro de produtos, formação de preços, promoções e muitas outras funcionalidades.

A Gubee é a empresa integradora ideal para os lojistas. Ela preza pelo fortalecimento da marca de seus clientes, trabalhando de forma a manter o ranqueamento orgânico e a relevância do seu e-commerce.

Com a expertise dos parceiros certos, sua empresa expande com consistência, baseada nas estratégias certas.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email