“Mundo está ameaçado por ‘desoladora’ crise”

O líder cubano, Fidel Castro, disse que o mundo está ameaçado por uma “desoladora crise econômica” devido à intenção dos EUA em defender um direito que “viola a soberania dos demais países”.
Em novo artigo publicado pela imprensa oficial, Fidel -que desde julho de 2006 se recupera de uma grave doença que o obrigou a delegar provisoriamente o poder a seu irmão Raúl Castro- voltou a criticar o governo dos Estados Unidos pelo gasto de “recursos econômicos inimagináveis”.
“Atualmente, o mundo está ameaçado por uma desoladora crise econômica”, disse o chefe da revolução no artigo, no qual, como faz na série de “reflexões” que escreve desde o fim de março, não faz alusão ao seu estado de saúde.
Fidel, 81, acusou Washington de “continuar comprando com bilhetes de papel as matérias-primas, a energia, as indústrias de tecnologias avançadas, as terras mais produtivas e os imóveis mais modernos de nosso planeta”.
Na “reflexão”, intitulada “Mentiras deliberadas, mortes estranhas e agressão à economia mundial”, o líder cubano se refere às manobras de espionagem feitas por Washington e pela CIA (agência central de inteligência americana) para causar a queda da ex-União Soviética, com menções a diferentes livros e documentos.
Fidel afirmou que os Estados Unidos “destruíram a poderosa equipe de espionagem soviética, prejudicaram a economia e desestabilizaram o Estado daquele país. Foi um grande sucesso”. “Se tivesse acontecido o contrário, isso seria visto como um ato de terrorismo”, acrescenta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email