16 de abril de 2021

“Déficit será coberto com tesoura”

https://www.jcam.com.br/ppart06122012.jpg
Em sua primeira visita à Câmara Municipal de Manaus depois de eleito, o prefeito Artur Neto (PSDB) confirmou que receberá, das mãos de Amazonino Mendes (PDT), uma prefeitura financeiramente deficitária

Em sua primeira visita à Câmara Municipal de Manaus depois de eleito, o prefeito Artur Neto (PSDB) confirmou que receberá, das mãos de Amazonino Mendes (PDT), uma prefeitura financeiramente deficitária. “Nós temos um déficit financeiro e isso me preocupa. É preocupante porque a prefeitura é uma entidade só. Hoje, o prefeito pode se chamar João e amanhã José, mas a prefeitura é uma entidade só”, disse. A declaração foi dada durante a cerimônia de entrega da Medalha de Ouro Cidade de Manaus ao chefe da equipe de transição, o economista Rodemarck Castello Branco, na manhã de ontem (5).
Conforme o prefeito eleito, ainda não é possível calcular o valor do rombo no Orçamento porque a equipe de transição ainda não finalizou o levantamento de todas as secretarias. Artur Neto anunciou ainda uma série de medidas de austeridade que, segundo ele, garantirão um Orçamento de R$ 400 milhões. Entre as medidas estão a diminuição do número de secretarias e corte de pessoal. “O déficit vai ser coberto com austeridade, com cortes drásticos de despesas de custeio. Vai ser coberto com a tesoura mesmo. Vamos resguardar as atividades essenciais. Vamos preservar e, se possível ampliar as atividades de cunho social e infraestruturante, mas o que for supérfluo vai ser cortado. Vamos reduzir o número de secretarias, vamos reduzir o número de funções comissionadas. Não vamos mexer com os RDAs, mas o cargos comissionados terão que ser reduzidos. Vamos fazer economia em tudo. Sem essas medidas, (o Orçamento) não chegaria nem perto de R$ 400 milhões”, diz acreditar.
Questionado sobre o que teria causado este déficit, o prefeito preferiu não entrar em polêmicas: “É um descompasso entre o que se podia gastar e o que se gastou”, minimizou.

Ação Conjunta

Artur Neto explicou ainda que o abastecimento de água é uma das prioridades já firmadas pela ação conjunta com o gove rnador Omar Aziz (PSD). Segundo ele, após reuniões, ficou definido que tanto o Estado quanto o município já estão tomando as providências para garantir a utilização do Proama, que beneficiará, principalmente a zona leste de Manaus. Além disso, a parceria viabilizaria a implantação da Tarifa Social. “É preciso que a gente dê passos concretos que, aos poucos, signifiquem a solução de um problema que, se Deus quiser, vai desaparecer em nosso governo, que é o problema de abastecimento de água”.

Secretariado

Diferentemente do que prometeu em campanha, quando defendeu a formação de um secretariado exclusivamente técnico, Artur Neto, sem citar nomes, afirmou que sua equipe será formada por uma mescla de nomes técnicos e políticos. A mesma declaração já havia sido dada pelo vice-prefeito eleito, vereador Hissa Abrahão (PPS) em seu retorno ao parlamento municipal, no último dia 28 de novembro. “Não dá pra se fazer um secretariado só com pessoas que não tenham o traquejo político, senão você sequer se relaciona bem com o parlamento. Mas, nós não abriremos mão do caráter técnico nem mesmo quando se trata de excelência política. Então, foi isso que o vice-prefeito Hissa quis dizer e é isso que será feito”, ressaltou o prefeito.

Presidência da Câmara

Faltando menos de um mês para a eleição que definirá o novo presidente da Câmara Municipal, o prefeito eleito admitiu que fez uma reivindicação ao plenário: que a Casa eleja como presidente um vereador do PSDB, como forma de colaborar com a administração que chega. “Me parece a coisa mais natural, levando em conta a expressiva manifestação da vontade do povo de Manaus. Foram 2/3 dos votos (dados a ele na última eleição). Acredito que o nome do nosso candidato fluirá naturalmente”, justificou Artur. Dentro do partido, no entanto, três nomes surgem como pré-candidatos: o vereador reeleito Mário Frota e dos eleitos Bosco Saraiva e Plínio Valério. Artur Neto confirma que mantém conversas com os três postulantes, mas que a decisão não caberá somente a ele. “Temos que ver o que os demais (membros da bancada) acham de cada candidato. Não é meu papel agir como coronel de barranco e chamar vereador por vereador para dizer ‘vote no fulano’”. Na opinião de Artur, o candidato ideal deverá ser maleável, de bom senso e fácil de ser assimilado pelos colegas de parlamento.

Tarifa de ônibus

Diante de uma nova ameaça de aumento na tarifa do transporte público por parte dos empresários do setor, Artur Neto declarou que não irá ceder às pressões. Para ele, a proposta dos empresários “não faz sentido” e afirmou que a prefeitura não está desarmada com relação a possíveis paralisações e greves. “Existem um arsenal de possibilidades jurídicas para se tomar as atitudes. Eu não tenho a menor razão para me sentir atritado com os proprietários de empresas de ônibus. Eu quero que eles sejam corretos com a cidade, e vou cobrar que sejam corretos. Se algum se portar mal, esse algum não terá vida tranquila aqui em Manaus”, ameçou Artur.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email